Novas técnicas de rinoplastia conferem excelentes resultados com menor trauma e tempo de recuperação

Rinoplastia ultrassônica e rinoplastia preservadora são abordagens inovadoras para o procedimento que visa alterar a estética do nariz. Cirurgiões plásticos explicam como funcionam os procedimentos e apontam as principais vantagens de cada um deles.

Novas técnicas de rinoplastia conferem excelentes resultados com menor trauma e tempo de recuperaçãoUma das reclamações mais comuns em consultórios de cirurgia plástica é com relação ao nariz. Não é à toa então que a rinoplastia, ou seja, o procedimento que visa alterar a estética do nariz, figura entre as cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil. “A rinoplastia é o procedimento que visa alterar a forma e o tamanho do nariz para torná-lo esteticamente mais harmonioso ou então corrigir problemas respiratórios como o desvio de septo”, explica o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. O problema é que grande parte das pessoas ainda não se dispõe a passar pela cirurgia devido ao modo invasivo como é realizada e o longo tempo de recuperação que exige, que é acompanhado pelo surgimento de inchaço e hematomas. Mas a boa notícia é que, com o avanço dos estudos na área da cirurgia plástica, técnicas que prometem reduzir o tempo de recuperação enquanto conferem ótimos resultados vêm surgindo. Quer saber quais são essas técnicas? Confira abaixo dois novos tipos de rinoplastia que vêm ganhando cada vez mais espaço no Brasil:

Rinoplastia ultrassônica: A rinoplastia ultrassônica visa tratar a parte óssea do nariz através de um aparelho que, por meio de vibrações, permite ao cirurgião realizar a fratura nasal necessária para o procedimento de forma menos traumática. “Realizada sob o efeito de anestesia e indicada para qualquer paciente que tenha necessidade de tratar a parte óssea do nariz,  essa técnica tem como vantagem o fato de ser mais precisa e preservar estruturas importantes do nariz, como cartilagem, mucosa e vasos sanguíneos presentes na região, resultando em menos inchaço, sangramento, hematoma e inflamação no período pós-operatório. Isso faz com que o processo de recuperação do procedimento seja mais rápido e mais tranquilo, permitindo ao paciente retornar às atividades rotineiras mais rapidamente”, destaca o Dr. Paolo.

De acordo com o médico, por ser mais precisa, os resultados da rinoplastia ultrassônica são mais previsíveis, além de ocasionar cicatrizes menos aparentes, já que, nesse procedimento, não há necessidade de incisões na parte externa do nariz.  “Geralmente, o resultado definitivo da rinoplastia tradicional é alcançado em 6 a 12 meses. Mas na rinoplastia ultrassônica esse período tende a ser menor, justamente por causar menos inchaço”, afirma o Dr. Paolo Rubez. Com relação aos cuidados pós-operatório, estes são os mesmos da cirurgia convencional. “Dessa forma, o ideal é que, durante uma semana, o paciente permaneça em repouso e não realize exercícios físicos”, alerta o médico.

Rinoplastia preservadora: A rinoplastia preservadora também tem como objetivo corrigir problemas estéticos e funcionais do nariz de maneira menos agressiva que a rinoplastia tradicional que, apesar de trazer bons resultados a longo prazo, exige longo período de recuperação e causa dificuldades caso seja necessária uma segunda intervenção. “A cirurgia, que dura de 3 a 4 horas, é realizada sob efeito de anestesia geral e através de cortes internos, o que resulta em cicatrizes menos aparentes. Por meio desses cortes internos, o cirurgião identifica e separa as estruturas chaves do nariz, moldando cartilagens e estruturas ósseas. A sustentação é feita através de ligamentos naturais presos à pele e, como resultado, o nariz fica com uma aparência mais natural e harmônica, além de preservar quase que completamente sua elasticidade e mobilidade originais”, explica o Dr. Mário Farinazzo, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Segundo o especialista, é principalmente nesse ponto que a rinoplastia preservadora se diferencia da rinoplastia tradicional, pois na técnica tradicional o nariz é completamente desmontado e ao ser remontado, o que é feito por meio de enxertos de cartilagem retirados do próprio septo, tende a se tornar mais rígido.

Garantindo resultados excelentes com menor trauma cirúrgico, pois conserva ligamentos e tecidos, o que significa menos inchaço e hematomas e menor tempo de recuperação, a rinoplastia preservadora também possui menor chance de complicações e, caso seja necessária uma nova intervenção no nariz, a cirurgia é mais simples. Por esses motivos, a técnica é principalmente indicada para pacientes que vão realizar a rinoplastia pela primeira vez. “Por ser menos agressiva, o pós-operatório da rinoplastia preservadora é mais rápido e tranquilo. O paciente tende a não sofrer com dores, sentindo apenas uma sensação de pressão sobre a face, e os hematomas são menos frequentes do que na rinoplastia estruturada, o que possibilita ao paciente retornar à rotina mais rapidamente”, completa o Dr. Mário.

Porém, é importante ressaltar que esses novos métodos não necessariamente substituem a rinoplastia tradicional, já que a abordagem escolhida dependerá de cada caso. “Por isso, o mais importante é que você converse com seu cirurgião plástico, pois apenas ele poderá realizar um diagnóstico e indicar a técnica mais adequada para você”, finaliza o Dr. Mário Farinazzo.

FONTE: DR. PAOLO RUBEZ – Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade, e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/

MÁRIO FARINAZZO – Cirurgião plástico, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o médico é especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Professor de Trauma da Face e Rinoplastia da UNIFESP e Cirurgião Instrutor do Dallas Rinoplasthy™ e Dallas Cosmetic Surgery and Medicine™ Annual Meetings. Opera nos Hospitais Sírio, Einstein, São Luiz, Oswaldo Cruz, entre outros. www.mariofarinazzo.com.br

Últimas notícias

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui