Relato de mãe reforça o alerta de que a miopia pode ser causada pelo uso excessivo de telas digitais

A médica oftalmologista e presidente da SOBLEC – Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria, Tania Schaefer reforça a recomendação de que o uso excessivo e até abusivo de telas digitais está sendo responsável por uma geração de míopes

“Meu nome é Ana Pinto e devido à pandemia de Covid-19 deixei de levar minha filha ao oftalmologista para a consulta periódica anual. Com o retorno à escola depois de um longo período de as aulas remotas, ela comentou que sentia dificuldades de enxergar o quadro negro em sala de aula. Então, levei ao oftalmologista que constatou a miopia. Uma das causas do desenvolvimento da doença ocular foi o excesso de tempo em tela de computador nas aulas remotas. O diagnóstico foi de início de miopia baixa e oftalmo não prescreveu óculos. Deverá retornar em 2 meses para ver se a visão se readaptou ao ensino presencial com a redução do uso somente de telas (visão de perto) passando a ser agora usada a visão em sua totalidade na escola (visão de longe e de perto). Foi necessário reduzir o uso de celular e tablete, e TV apenas de longe. Recomendo aos pais que levem os filhos ao oftalmologista para avaliar a saúde ocular dos filhos. No caso da minha filha, de 8 anos, isso ocorreu devido a queixas. Porém, muitas vezes, principalmente crianças pequenas, não sabem expressar bem o que está ocorrendo. E um bom exame clínico com instrumentos para medir a acuidade visual pode ajudar bastante. No caso da saúde dos nossos filhos, precisamos estar vigilantes, pois a pandemia não trouxe apenas problema no sentido do vírus, mas outras consequências de saúde que nem sempre são perceptíveis e precisamos ficar atentos”.

Devido a casos como esse e tantos outros, a médica oftalmologista e presidente da SOBLEC – Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria, Tania Schaefer reforça a recomendação de que o uso excessivo e até abusivo de telas digitais está sendo responsável por uma geração de míopes. “O aumento da progressão da miopia em crianças, principalmente, em idade escolar, é preocupante porque está comprovado que o déficit de aprendizagem também está relacionado a problemas na visão, além trazer transtornos na hora da prática de exercícios físicos e dificultar o convívio social”.

A oftalmologista cita ainda a pesquisa científica “Progressão da miopia em crianças em idade escolar após Covid-19 – Confinamento Domiciliar”, elaborada pelo doutor Jiaxing Wang, que apontou aumento de 400% nos cinco primeiros meses de distanciamento social de 2020 em comparação aos anos anteriores. O estudo, realizado em escola chinesa, envolvendo mais de 120 mil alunos de 6 a 8 anos, concluiu que a redução do tempo gasto em atividades ao ar livre e as horas a mais em frente a aparelhos eletrônicos ocasionaram um crescimento nos casos de miopia precoce, ampliando a dificuldade de as crianças enxergarem de longe. A edição de fevereiro de 2021 da revista científica JAMA Ophthalmology traz detalhes do trabalho.

Tania Schaefer observa ainda que dados de estudo do Instituto Brian Holden, da Austrália, sobre prevalências globais da miopia, estima que até 2050, o número de pessoas com alta miopia chegará a 1 bilhão de indivíduos. A mesma pesquisa indica que 50,7% da população mundial será míope nas próximas décadas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) define 5 Diopitrias como alta miopia com as consequentes comorbidades relativas à doença.

Ela ressalta que até antes da pandemia a teoria sobre o desenvolvimento da miopia se baseava na predisposição genética. “Atualmente, constata-se que, além desse fator, o aumento do tempo gasto em ambientes fechados, claro, por conta do distanciamento social, e o exagero temporal da utilização de tablets, celulares e computadores são gatilhos para a progressão da miopia”, pontua.

Desde o ano passado, a SOBLEC – Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria veicula a campanha “Alerta Permanente contra a Miopia”. A iniciativa visa a informar ao público em geral, pais, professores e gestores públicos sobre a importância do diagnóstico precoce da miopia, uma doença simples e de fácil tratamento, mas que pode evoluir para o surgimento de problemas mais sérios como a cegueira. Visitas periódicas aos consultórios oftalmológicos são fundamentais. “É bom frisar que apenas os médicos oftalmológicos são qualificados para avaliar, diagnosticar e tratar doenças oculares”, observa.

O alerta de utilidade pública é veiculado pelas redes sociais da SOBLEC todas as sextas-feiras, a partir das 19h30. Participam das lives opinion líderes, oftalmologistas, indústrias ligadas ao controle de miopia.

Médica oftalmologista Tania Schaefer - Foto: Divulgação
Médica oftalmologista Tania Schaefer – Foto: Divulgação

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui