Hello, Hola ou Bonjour? Segundo idioma para conseguir trabalho é real ou lenda?

Fale a verdade: quando você coloca no currículo que sabe um segundo idioma, o quanto essa informação pesa para o recrutador? Já temos empresas fazendo negócios fora do Brasil e multinacionais com suas filiais por aqui, então saber alemão, francês, espanhol ou inglês, teoricamente, se tornou diferencial bem apreciado por recrutadores:

“É uma realidade que cresceu com a ampliação das tecnologias de comunicação. Saber uma segunda língua é um baita diferencial, mas tem que saber, pelo menos, estabelecer um nível de conversação aceitável. Traz diversificação do repertório cultural, melhora networking com quem fala outra língua de forma nativa e aumenta o nível de compreensão e interpretação textual. As empresas estão com seus negócios envolvidos com outros países, seja em negócios, seja para utilizar aplicativos com termos estrangeiros. O candidato que tem um certo domínio vai se destacar” explica Eliane Catalano, coordenadora de recrutamento e seleção na RH NOSSA.

Multinacionais: Precisa de outro idioma?
Se uma empresa espanhola se instala no Brasil, por exemplo, seguramente haverá oportunidades de crescimento. As multinacionais abrem possibilidades para crescer dentro de suas fileiras para, quem sabe, começar uma carreira internacional. 

“É ampla a oportunidade de emprego para profissionais qualificados, portanto o requisito para alguns cargos mais altos é o pleno domínio do idioma do país de origem da empresa ou o inglês, que é a ‘língua universal’ dos negócios. Mas, vale apostar que no espanhol, francês, alemão e, para quem desejar voos mais altos, o mandarim”.

Empresas brasileiras que atuam em outros países
As fronteiras linguísticas foram derrubadas há muito tempo, então as empresas estão querendo profissionais que saibam se comunicar em outras línguas justamente para manutenção de sua presença ou até ampliar seus negócios em um nível internacional. A segunda língua, portanto, vai pesar positivamente:

“Podemos colocar nesta equação os trabalhos fora do  Brasil. Ao ingressar nas fileiras de uma empresa com braços em outros países, vai aparecer uma oportunidade para viajar e cuidar de uma filial em outro país? Se souber falar o idioma, já é um grande diferencial” explica Catalano.

Passaporte em dia
Quem deseja apostar no segundo idioma como diferencial, precisa ficar atento com o passaporte e vistos. Imagine ser chamado justamente por ter o segundo idioma e não poder viajar para assumir um posto em outro país?

“Imagine ser convocado para assumir um cargo em outro país e o seu passaporte estiver vencido. Ou pior ainda: o passaporte está certo, mas sem visto! Ter esses documentos em ordem é mostrar para a empresa que você está disposto a crescer e assumir desafios em terras estrangeiras. Tenha o passaporte preparadíssimo para nos casos em que a sua segunda língua te abrir uma porta para residir fora do país.” completa Catalano.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui