Referência no cenário cult nacional, duo cearense Banana Scrait recria “Manhã de Carnaval”, de Luiz Bonfá

De meados da década de 90 até aqui, o duo Banana Scrait já vestiu muitas peles, passando pelo rock, pela psicodelia, pelo progressivo e pela música clássica, flertando desde sempre com a eletrônica. Agora, Andrea Agda e Daniel Arruda dão destaque à brasilidade inerente ao seu som com o ousado projeto “Eletro Bossa Nova”, que reunirá releituras cheias de personalidade em um EP. Após os primeiros singles, “Água de Beber” e “Dindi”, o casal cearense volta-se para outro clássico. “Manhã de Carnaval” está disponível nas principais plataformas.

Na sequência do desafio de trazer um novo olhar para canções icônicas de Tom Jobim, os músicos encaram com reverência a obra de Luiz Bonfá, sem deixar de trazer as suas próprias personalidades para essa composição marcante da trilha do filme “Orfeu Negro” (1959) e assinada por Bonfá e Antônio Maria. Com o sucesso do longa e da própria canção, esta acabou se tornando uma das representantes do jazz brasileiro no exterior, tendo sido regravada por nomes que vão de Plácido Domingo a Cher, de Stan Getz a George Benson.

A abordagem de Banana Scrait para o projeto “Eletro Bossa Nova” é uma nova interpretação para clássicos desse ritmo brasileiríssimo por natureza com uma vibração nova: da chillwave, lounge music e até o funk com batida sincopada. É o caso dessa releitura de “Manhã de Carnaval”, combinando suingue e poesia com um toque de melancolia guiada pelo sax tenor no que talvez seja a versão mais ousada de todo o álbum. 

O novo EP vem para somar à discografia de Banana Scrait, que surgiu para canalizar as influências roqueiras de Andrea e Daniel – entre elas, The Smiths, Breeders e Elastica. O sucesso no nordeste logo se amplificou para o sudeste. A primeira demo foi lançada pelo respeitado selo Midsummer Madness em 1995, seguida pelo álbum “Yes, We Have Bananas”, dois anos depois. Em 2001 viria o EP “Tecnotopia”, unindo seu som a elementos eletrônicos. 

Após um período de hiato em Recife e de volta a Fortaleza, o Banana Scrait trabalhou no disco “Giostra” (2015), mesclando releituras do maestro Alberto Nepomuceno com composições próprias. Ainda em 2015, viria o álbum “Voo”, que começou a ser gestado em Pernambuco reunindo forte influência da MPB e utilizando instrumentos como clarinete, saxofone, vibrafone, sintetizador, piano, ukulele, castanholas e trombone, além de baixo, guitarra e bateria.

Agora, Banana Scrait segue se reinventando com uma sequência de singles. Além de “Dindi”, “Água de Beber” e “Manhã de Carnaval”, “Eletro Bossa Nova” contará com “Berimbau” (Baden Powell), “Favela” (Tom Jobim) e “Gentle Rain” (Luiz Bonfá).

Últimas notícias

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui