Resultado do Enem pode ser usado no exterior

Além de ser uma importante porta de entrada para universidades brasileiras, exame também ajuda quem deseja estudar fora

Resultado do Enem pode ser usado no exteriorDurante os dias 21 e 28 de novembro, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) domina a atenção de milhares de estudantes em todo Brasil. Além de ser uma ferramenta importante para entrar em universidades públicas e privadas no Brasil, o exame também pode ser usado em alguns países na Europa e América do Norte.

De acordo com Diogo Rodrigues, CEO da YES Intercâmbio, especialista em College Counseling, a procura por vagas em universidades no exterior tem crescido constantemente, mesmo com a pandemia. “Cada vez mais estudantes estão ampliando suas opções e tentando instituições de ensino superior na Europa e América do Norte. Com uma preparação adequada e aconselhamento é possível encontrar oportunidades de ensino que farão a diferença no futuro dos estudantes”, analisa.

Portugal é um dos principais destinos que aceitam a nota do Enem para entrada em universidades. Os pré-requisitos são: atingir ao menos 600 pontos e não ter passaporte europeu, além da documentação específica de cada instituição. Canadá, Estados Unidos e Reino Unido também estão entre os países que já aceitam o resultado do Enem. Nesses locais, as exigências variam, como a University of Hertfordshire no Reino Unido, que pede o mínimo de 65% de acerto na prova, por exemplo.

Preparação desde cedo

Para quem já sonha ir para o exterior desde cedo, existem algumas opções de ensino desde cedo. Fernanda Cervi Rolkouski, gerente de Internacionalização do Grupo Marista, aconselha que crianças menores comecem desde cedo a ter contato com a língua e cultura inglesa. “Por meio do ensino integral bilíngue, o aluno aprende em inglês e não somente o idioma. Isso traz uma dinâmica diferente para o aprendizado e também para o desenvolvimento da criança”, explica.

Para quem quer se preparar e já entrar no ritmo do estudo norte-americano, é possível obter dupla certificação cursando o Marista High School. De acordo com a coordenadora de Internacionalização do Marista Paranaense, Erli Dione Weissheimer, o aluno cursa simultaneamente o currículo brasileiro e estadunidense. “O Marista High School traz uma preparação global para o jovem que quer estudar fora, ou somente quer ter uma visão diferenciada do mundo”, pondera.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui