Tendência divertida em casa: Balanços suspensos trazem leveza e conforto para o décor de interiores

Unindo aconchego e estilo, os balanços suspensos relembram a infância de maneira elegante: confira ideias e cuidados necessários antes de escolher o seu;

Funcionando bem em vários ambientes, o móvel requer atenção com a estrutura da casa. Neste projeto assinado pelas arquitetas do Studio Tan-gram, o balanço do modelo cadeira foi confeccionado em algodão. Para ser instalado no teto, foram utilizados parafusos de alta fixação específicos para o concreto, conhecidos como parabolt | Foto: Estúdio São Paulo

Com a pandemia, a ‘redescoberta’ da casa e tempo de sobra para aproveitá-la, muitas pessoas sentiram a necessidade de se conectar com seus lares. Diante disso, passaram a investir em decoração e a apostar em soluções capazes de agregar mais lazer, leveza e bem-estar para a morada. Tons pastel, estruturas adequadas para o home office e plantinhas estão entre as principais tendências dos últimos tempos, mas uma trend um pouco mais divertida e com memórias afetivas da infância também tem ganhado espaço entre os brasileiros: os balanços suspensos.

Com diversos formatos, estilos, cores e materiais disponíveis, o móvel pode ser incorporado em varandas, terraços, salas de estar, cantinhos de leitura e até mesmo em dormitórios. No entanto, sua instalação requer cuidados específicos e não pode ser efetuada por conta própria, considerando que mandatório suportar, com segurança, o peso de uma pessoa adulta. Por isso, para sanar todas as dúvidas sobre a escolha e instalação do item suspenso, as arquitetas Claudia Yamada Monike Lafuente, sócias no Studio Tan-gram, listaram tudo que precisa ser observado antes e durante a colocação. Confira!

Estrutura necessária para a instalação

Mesmo parecendo simples, as arquitetas advertem que o processo de fixação do balanço requer cuidados e devem ser realizados sempre por profissionais especializados. “Não dá para já sair furando a superfície sem antes obter informações sobre a estrutura do imóvel e avaliar como tudo deve ser feito. Em ambientes com forro de gesso no teto, por exemplo, o gancho da cadeira precisa ser fixado diretamente na laje. Quando o teto é a própria laje, a colocação já avança uma etapa”, explica Claudia.

Apesar da versatilidade do balanço, é necessário conhecer a carga que a laje suporta para não causar danos estruturais à residência. Outro ponto determinante é respeitar o limite de peso dos balanços e cadeiras suspensas. “Em linhas gerais, o móvel costuma sustentar entre 150 e 200 kg, considerando a soma do peso da peça com o usuário”, complementa Monike.

Atenção ao espaço disponível

Com uma ampla varanda disponível, as arquitetas montaram este cantinho de relaxamento único. Com o living todo integrado, os balanços suspensos acentuam ainda mais a fluidez desejada para todo o apartamento. Clima perfeito para aproveitar a vista do imóvel ou tocar as canções favoritas do casal de moradores| Foto: Estúdio São Paulo

Outro detalhe fundamental está relacionado às medidas do balanço e a área onde pretende-se colocá-lo. Essa precaução faz sentido, uma vez que se trata de móvel propenso ao balanço e, desse modo, o cômodo deve oferecer espaço confortável para não danificar o mobiliário que está próximo, bem como não atrapalhar a circulação e as atividades do dia a dia. “Não faz sentido que os moradores tenham receio de aproveitar o balanço, esbarrar com algum item do local ou mesmo provocar algum acidente”, discorre Claudia.

Nessa análise, o cálculo da área reservada para a fixação do balanço pode variar de acordo com a altura do pé direito, o tamanho do balanço e comprimento da corda ou corrente de sustentação. Nesse contexto, vale também considerar um raio mínimo de 70 cm livres para balanços que serão utilizados apenas por adultos – em lares com crianças, o raio de 1 metro costuma funcionar melhor.

Como combinar com o décor?

Para a ampla casa de praia localizada no litoral sul de São Paulo, os profissionais do escritório PB Arquitetura optaram por tecidos iguais para sofás, almofadas e balanço suspenso. Mesmo com tons neutros, que são predominantes em todo o projeto, os móveis ganharam um toque moderno e cheio de estilo. | Foto: Henrique Ribeiro

Com diversos formatos, cores e tamanhos disponíveis, é comum que surjam dúvidas de como combinar a peça com o restante da decoração. Segundo Monike, assim como qualquer outro móvel, os balanços também costumam ser democráticos e atendem aos mais diversos estilos. “Para quem é fã do estilo contemporâneo, peças do modelo bubble chair respondem super bem essa tendência. Já os balanços suspensos por cordas e produzidos com tecidos naturais costumam agradar àqueles que desejam vivenciar a alegria do natural. O segredo é pesquisar bem e encontrar uma peça que seja uníssona com o estilo da casa”, continua Monike.

Outra dica valiosa é verificar a adequação do material do balanço para o local onde pretende-se aplicá-lo. Em ambientes externos, é ponto passivo adquirir peças desenvolvidas com tecidos e estruturas que resistam às intempéries da natureza, assim como facilitar a manutenção e limpeza. Agora, quando colocados na parte interna da casa, tecidos mais comuns, como o algodão e linho, são excelentes.

A tradição das redes

A rede de descanso é a resposta para quem anseia um espaço maior para relaxar! | Projeto: PB Arquitetura | Foto: Henrique Ribeiro

Muito conhecida na cultura do país e tão relaxante e charmosa quanto os balanços suspensos, as redes de descanso são excelentes para os moradores que não abrem mão de mais espaço para se acomodar durante o relaxamento. Sua instalação é mais simples, mas ainda assim, é primordial aferir as condições da parede que receberá os ganchos e o peso que a rede suporta. Recomenda-se que a peça seja instalada em paredes de concreto, tijolos ou madeira maciça, que são mais resistentes e oferecem segurança.

Sobre Studio Tan-Gram

Tangram é um quebra-cabeça chinês formado por 7 peças geométricas capazes de formar até 5 mil formas diferentes. Inspirado nesta pluralidade, versatilidade e criatividade surgiu o nome do escritório, liderado pelas arquitetas Monike Lafuente e Claudia Yamada. A arquitetura que concebem e acreditam se estrutura na multiplicidade de soluções, adaptabilidade ao usuário-espaço e renovação de conhecimento contínua. São espaços desenvolvidos para o ser humano e, portanto, cada desafio traz uma solução individual.

www.studiotangram.com.br

@studio.tangram

Av. Onze de Junho, n 1070 – Cj. 609 – Vila Clementino, São Paulo – SP, 04041-004

(11) 5571-3304 (WhatsApp)

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui