Unimed Curitiba e Unimed Laboratório estão no ranking GPTW das melhores empresas para trabalhar no Paraná

A maior operadora de planos de saúde do estado e seu laboratório próprio integram a lista divulgada no dia 04 de novembro

Pelo terceiro ano consecutivo a Unimed Curitiba faz parte do ranking da consultoria global Great Place to Work (GPTW). E em 2021 a cooperativa figura em destaque entre as empresas de grande porte – ao todo, 20 foram escolhidas. A divulgação aconteceu no dia 04 de novembro e também anunciou a Unimed Laboratório como melhor empresa para se trabalhar no Paraná entre aquelas de médio porte – ao todo, 65 foram eleitas. O selo GPTW é uma forma de reconhecer as empresas que são referência em ambiente de trabalho em seus estados e, neste ano, 100 empresas paranaenses foram reconhecidas na sua 12ª edição.

De acordo com Rached Hajar Traya, diretor-presidente da Unimed Curitiba e empresas do grupo, essas colocações da cooperativa e do laboratório, bem como obter o selo GPTW pela terceira vez seguida, refletem a importância do planejamento e a certeza da estarem em um caminho assertivo. “Apontamos uma direção a seguir, buscamos construir ambientes e atmosferas adequadas para desenvolver o trabalho, seja ele de que natureza for, e percebemos que a prática do Jeito de Cuidar da Unimed foi efetiva e percebida pela comunidade. Esse resultado é uma percepção inequívoca de que os colaboradores entenderam o que a gestão estava buscando e conseguiram atribuir um valor que, às vezes, é intangível: o de que realmente têm um bom ecossistema de trabalho. E ainda tem mais, fizemos isso num momento extremamente hostil para todos nós em método, maneira e modalidade de trabalho. Mas nossa busca foi percebida como uma coisa positiva porque nosso propósito de cuidar das pessoas significa cuidar efetivamente de todas as pessoas com as quais temos interface de relação. Não é para um público específico e sim um cuidado sistêmico”, afirma.

Para concorrer à premiação, as empresas precisam ter recebido a certificação GPTW, que é conquistada após a organização ser avaliada com, no mínimo, 70% de respostas positivas de seus colaboradores na pesquisa aplicada pela consultoria global. Rached Hajar Traya destaca ainda que quem trabalha na Unimed Curitiba e empresas do grupo, mesmo quando tira do peito o crachá da instituição, continua sendo identificado como profissional da operadora e isso traz a responsabilidade de ser protagonista no exemplo, especialmente no enfrentamento de uma doença nova. Em conversa com as equipes, o diretor lembrou que, a despeito de todas as dificuldades que tiveram nos últimos 19 meses, não houve paralisação de trabalho, mesmo para os que ficaram remotos, houve sim mudança no jeito de trabalhar. “Somos iguais e estamos na mesma “aventura de vida”, o que temos são responsabilidades diferentes. Mas nós dependemos do trabalho de cada um para essa máquina seguir funcionando”, destacou.

Conquistas em meio a uma pandemia – Em março de 2020, o Brasil declarou a transmissão comunitária do novo coronavírus e iniciaram as medidas sanitárias para contenção da transmissão. Muitas empresas passaram rapidamente a adotar o trabalho em home office e surgia aí um desafio de convivência e produtividade para toda a sociedade que só buscava segurança. Pois esse cuidado com as pessoas que trabalham na Unimed Curitiba e no laboratório também foi desde o dia zero da pandemia. Primeiro um desenho de como agir foi feito pela diretoria executiva e então veio a tomada de decisão.

“Tiramos do presencial antes aqueles com necessidades especiais, grupos de risco e jovens aprendizes. Então, escalonamos à medida que fomos percebendo a cena. Mas isso tudo demorou um período muito curto de tempo até que tivéssemos colocado mais de 90% do nosso quadro de colaboradores em trabalho remoto. Ficaram, obviamente, aquelas posições em que não podemos prescindir da presença das pessoas e, nesse caso, incluo também a diretoria executiva, que seguiu trabalhando presencialmente na pandemia. Eles foram, de verdade, o que chamamos de linha de frente e não nos faltaram: engoliram o medo, a angústia e foram corajosos no enfrentamento dessa doença, vindo todos os dias para o laboratório e para as unidades da cooperativa justamente para fazer um pouco pelos outros. Afinal, o que nos move a fazer isso é o nosso propósito”, relatou.

Por fim, o diretor agradeceu também aos familiares das pessoas que precisaram seguir trabalhando presencialmente pela Unimed Curitiba e pela Unimed Laboratório: “Sabemos que todos têm mãe, pai, esposa, esposo, filhos e eles permitiram que cada um tivesse esse ato de humanidade de vir trabalhar todos os dias. Fico emocionado por isso”.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui