Congresso da SOCESP volta a ser presencial em 2022

  

Com o slogan “o gigante está de volta”, a SOCESP lança seu Congresso 2022, que acontecerá nos dias 16, 17 e 18 de junho, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, com formato híbrido e programação também na versão on-line

A redução de hospitalizações e mortes e o avanço da vacinação faz de São Paulo uma das cidades mais vacinadas do mundo contra a COVID-19, permitindo o planejamento do 42º Congresso de Cardiologia da SOCESP – Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo nos dias 16, 17 e 18 de junho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo em formato híbrido. “Os congressos virtuais da SOCESP de 2020 e 2021 foram um sucesso, com cerca de 7 mil inscritos a cada ano, com conteúdo programático de alto nível”, lembra o presidente do Congresso, o cirurgião cardíaco Walter Gomes. “Mas nosso esforço permanece para o evento presencial: além da questão científica, é uma oportunidade para a prática de networking e rever amigos”.

Segundo Gomes, a ideia inicial é receber até 5 mil pessoas. “Apesar de o local ser bastante amplo e acomodar até 7 mil pessoas, acreditamos que seja mais prudente restringir o número de inscritos”, diz. “E não podemos dispensar a ferramenta que se mostrou tão eficiente nos últimos dois anos: dessa forma, o Congresso da SOCESP será híbrido, também com programação virtual”.

Independente do modelo, o Congresso da SOCESP ganhou confiabilidade graças ao programa científico, que sempre primou pela qualidade e relevância dos temas apresentados, e pela expertise dos convidados/palestrantes. “Estes fatores resultam em reuniões de altíssimo nível, sempre com os melhores de cada área”, enfatiza o presidente.

Entre as pautas, Gomes destaca as atividades sobre a fase pós-pandemia. “Ainda não sabemos o que o futuro nos reserva, mas a SOCESP assume sua representatividade junto à sociedade, incentivando a retomada dos atendimentos médicos porque tivemos um saldo negativo durante a pandemia, com tratamentos negligenciados”.

O especialista se refere ao levantamento da SOCESP junto a seis instituições do Estado de São Paulo, que comprovou queda nas internações da ordem de 16,2% no ano passado, na comparação com o mesmo intervalo de 2019. No caso das internações cardiovasculares e por infarto, a baixa foi, respectivamente, de 13,8% e 15,9%. A pesquisa mostrou que as consultas ambulatoriais em cardiologia diminuíram 33,8% no período. Outro dado apurado é que o número de procedimentos ambulatoriais para diagnóstico de doença cardiovascular caiu 23,4% enquanto os tratamentos terapêuticos hemodinâmicos – como realização de cateterismo e intervenções coronárias – 28,7% e as cirurgias cardiovasculares decresceram 16,8%. Em 2018, por exemplo, foram 477.412 procedimentos ambulatoriais de vistoria clínica de doença cardiovascular no Estado de São Paulo. Já em 2019 foram 506.552, uma alta de 6,1%. Porém, no ano passado, a Covid-19 fez este número despencar para 387.887 procedimentos.

Mais temas

As cardiopatias congênitas e a necessidade de acompanhamento das crianças cardiopatas, assim como a retomada dos protocolos de atendimento do infarto agudo do miocárdio ganharão destaque no Congresso do próximo ano.

E as novas gerações também terão seu espaço garantido no Congresso. “Vamos inovar promovendo fóruns especiais para residentes e acadêmicos, dando voz a quem ingressa na carreira e a oportunidade de conviver e discutir com as principais lideranças da cardiologia.”

Plural e empreendedor

E nem só de cardiologistas se faz um congresso de cardiologia. “Nossa especialidade depende intrinsicamente de um corpo clínico plural. Enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, odontólogos e psicólogos são alguns exemplos. Como cirurgião cardíaco sei da relevância de uma equipe multidisciplinar bem treinada. Durante o congresso teremos plenárias abrindo o diálogo sobre a importância de se trabalhar em conjunto.”

A visão integralista da medicina está no DNA da SOCESP. Na entidade, a integração dos cardiologistas, demais médicos e outros profissionais de saúde é uma prática desde a década de 1990. A entidade mantém departamentos de Psicologia, Enfermagem, Fisioterapia, Serviço Social, Odontologia, Farmacologia, Nutrição e Educação Física e grupo de estudos sobre Cuidados Paliativos, que participam e contribuem com as discussões promovidas pela entidade.

O próximo congresso manterá atividades baseadas em inovação e tecnologia, além de uma novidade: o empreendedorismo. “Empreendedorismo é uma palavra mágica que sinaliza novas direções a seguir dentro da cardiologia. Como aliar qualidade técnica e sucesso profissional? Quais áreas são mais promissoras e necessitam de mais investimentos? Traremos expoentes em gestão para nos sinalizar estes novos caminhos, contribuindo para o sucesso de mais uma edição na direção do futuro”.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui