Happy conta com oito novas franquias no país

A partir de uma solução de aprendizagem completa para crianças, jovens e adolescentes, Grupo Happy traz proposta inovadora e inédita para aumentar retorno de fraqueados e fecha oito franquias em dois meses.

Fachada da nova unidade conceito em Maringá, inaugurada em novembro.

A Happy, referência global no ensino de Programação, Maker e Robótica com presença em países como Brasil, Portugal, Angola, Espanha e Estados Unidos, anunciou oito novas franquias fechadas nos últimos dois meses.

Com os novos franqueados a Happy agora marca presença também em Blumenau, Uberaba, Goionésia, Piracicaba, Santarém, Conselheiro Lafaiete e Caruaru. A Happy também inaugurou quatro novas unidades nos meses de novembro e dezembro em Mossoró, Belo Horizonte, Niterói e Vitória da Conquista.

Em agosto a empresa anunciou um novo posicionamento, com um investimento superior a R$ 8 milhões. O montante foi destinado ao Re-Brading da marca, lançamento dos novos negócios Happy Money e Happy Speech, que junto com a Happy Code formam o Hub Educacional, além da formatação de um sistema de gestão próprio, novos materiais pedagógicos e investimentos em expansão.

“Após 12 anos transformando a educação a distância no Brasil à frente a Unicesumar, a quarta maior Instituição Educacional do Brasil, hoje vejo a Happy como uma grande oportunidade de realmente preparar os jovens e adolescentes na construção de novas habilidades, além da visão de negócio, onde estamos em um oceano azul de oportunidades”, explica William Matos, CEO do Grupo Happy.

A franquia, que já conta com 56 unidades espalhadas por cinco países, sendo 49 abertas e operando, tem um investimento inicial em torno de R$ 230 mil reais e uma taxa de lucratividade entre 25 e 35%. Com um faturamento médio de até R$ 100 mil, as unidades franqueadas levam de sete a 10 meses para atingir o ponto de equilíbrio e entre 24 e 36 meses para obter retorno do investimento. O faturamento médio dos franqueados é de R$ 25 mil mensais.

Com seis anos de mercado e mais de 60 operações nos cinco países citados, o Grupo Happy já atendeu mais de 80 mil alunos. Agora com esse novo modelo de negócio busca ampliar seu crescimento para 180 operações até março de 2022. Os novos negócios vêm agregar ao franqueado abrindo a possibilidade de um maior faturamento.

O Hub Educacional está voltado ao desenvolvimento de habilidades e competências do século 21 e utiliza a tecnologia e a inovação no aprendizado de crianças, jovens e adolescentes. Agora, além da Happy Code, que ensina tecnologia, o Hub conta também com a Happy Money, para o segmento de educação financeira, e a Happy Specch, para o desenvolvimento de habilidades de comunicação.

Novos Franqueados

Cristiano Pereira Arruda e Patrícia Carange Bueno Arruda, que adquiriam a franquia em Uberaba, estão trabalhando duro e com otimismo no novo empreendimento. Eles contam que a meta para o primeiro ano de operação é alcançar a marca de 100 alunos.

“Nós somos da área educacional e temos um projeto de oferecer Educação de qualidade para crianças e jovens tanto na Educação escolar regular quanto na oferta de cursos livres. A oportunidade de adquirirmos a franquia da Happy se encaixou perfeitamente no nosso projeto, uma vez que ela oferta cursos inovadores e que desenvolvem habilidades essenciais para as crianças e jovens nos dias de hoje”, explica Cristiano.

“Sendo pioneira na oferta de cursos nas áreas de programação, educação financeira e oratória para a cidade de Uberaba, nossa expectativa é de que nesse primeiro ano possamos superar, com o apoio da equipe da franqueadora, as metas traçadas para esse período”, conclui Patrícia.

Já Mario Tanaka Filho, novo franqueado de Santarém, atribui a aquisição da franquia a uma enorme coincidência. Após ser apresentado à oportunidade de negócio da Happy por uma amiga de Santarém interessada em adquirir a franquia, foi em uma festa de aniversário na qual ele e sua esposa se sentaram na mesma mesa que dois franqueados de Belém, que essa sementinha germinou.

A amiga acabou não conseguindo virar uma franqueada, mas o contato com os franqueados de Belém rendeu frutos. Após conhecer a metodologia de trabalho e as unidades da capital do estado do Pará, um interesse real tomou conta do casal de Santarém e apenas 18 dias após iniciar a conversa oficial com a franqueadora, o casal tomou a decisão de comprar a franquia.

“Entendemos que existe um enorme potencial no mercado de Santarém e estamos muito confiantes, não só pela qualidade do produto, mas também pela oportunidade de negócio. A nossa meta para o ano de 2022 é conseguir emplacar pelo menos 60 alunos até o final do ano, mas acreditamos ser totalmente viável superar esse número. A perspectiva é muito boa. Já estamos escolhendo o ponto e, se Deus quiser, em fevereiro iniciamos a operação. Como já temos uma base de alunos de uma outra franquia de apoio escolar, a Happy vai complementar a formação desses alunos e nos permitir trabalhar com esses pais que já são nossos clientes”, prevê Mario.

Novas oportunidades de negócios

Por meio da formação continuada proposta e do uso de diferentes ferramentas, o aluno passa por toda uma evolução dentro dessa trilha de conteúdos, entrando para a alfabetização digital e solidificando esse conhecimento rumo à fluência, proficiência e pensamento ilimitado graças ao desenvolvimento de habilidades em educação financeira e comunicação.

O resultado dessas mudanças é um negócio muito mais robusto e rentável, de acordo com William Matos. “Todas essas mudanças foram pensadas no detalhe. Com isso a nossa cultura também evoluiu. Com um novo portfólio de produtos, criamos muitas possibilidades de receita para nossos franqueados e trabalharemos para nos transformarmos em um mais um unicórnio brasileiro”.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui