Como transformar uma empresa em franquias

CEO da Franquias do Futuro dá dicas para estruturar a empresa para o mercado de franchising

Engana-se quem pensa que apenas grandes empresas têm potencial para franquear o seu modelo de negócio. É o que afirma o CEO da Franquias do Futuro, o engenheiro e administrador de empresas, Nylmar Diego Zacharias. A empresa oferece soluções em tecnologias da informação para franqueados online e cresceu 22% apenas em 2021, com 750 novas franquias comercializadas, todas em formato online e com investimento de R$9 mil a R$16,9 mil.

Mas como avaliar se a empresa tem potencial para expandir os negócios por meio de franquias? É importante fazer uma análise de franqueabilidade, estudo que analisa a estrutura da empresa, diferenciais técnicos e competitivos, marca e posicionamento no mercado, e potencial de vendas, além de análise da concorrência, entre outros fatores. “Esse estudo pode ser feito internamente ou com empresas especializadas, e irá definir se o negócio tem potencial para expandir para o modelo de franquias”, explica Zacharias.

O administrador pontua que é preciso investir para adaptar o modelo de negócio. “Além do conhecimento no mundo das franquias, é preciso deixar os setores alinhados, para que o modelo possa ser repetido em diferentes mercados e regiões, sem perder a qualidade do serviço oferecido”, explica, lembrando que o franqueador deve oferecer sempre suporte ao franqueado e isso implica, muitas vezes, em um maior número de colaboradores e, consequentemente, investimento.

Uma empresa com imagem bem definida tem vantagem competitiva na hora de comercializar seu negócio. “Invista na sua marca, na qualidade dos produtos e serviços oferecidos e crie uma comunicação unificada. O cliente precisa ter a mesma experiência de compra em qualquer uma das unidades franqueadas”, alerta. Para isso, é preciso uma estrutura sólida, para que o modelo de negócio possa ser replicado, seguindo sempre as diretrizes da franqueadora.

Ainda, Nylmar lembra que é preciso colocar no papel processos a serem repassados para os franqueados, todos em conformidade com a Lei do Franchising, além de realizar os registros de marcas, para não ter problemas futuros. “O franqueador precisa oferecer treinamento assertivo para que os novos investidores garanta seu retorno e seguir à risca os termos do contrato, para que tanto o franqueador quanto o franqueado se beneficiem do novo negócio”, finaliza.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui