E-commerce: hobby & livros foi o segmento que mais cresceu

Levantamento do Mastercard SpendingPulse, que mede as vendas na loja e no varejo online em todas as formas de pagamento, o comércio eletrônico brasileiro cresceu +39,4% em outubro, em comparação ao período pré-pandêmico em outubro de 2019.

Hobby & livros (+82,9%), eletrônicos (+78,2%) e móveis (+36,4%) são os setores que mostraram o crescimento mais significativo do varejo virtual no Brasil, na comparação com o mesmo mês em 2019.

Por outro lado, as vendas do e-commerce registraram uma redução no comparativo ano-a-ano de -24,9%, em comparação com o forte crescimento do setor experimentado em outubro de 2020.

Por outro lado, as vendas totais no varejo cresceram +23,6% na comparação com o período pré-pandemia.

Já as vendas do varejo nas lojas brasileiras cresceram +2,6% no comparativo com o mesmo período em 2020. As regiões Norte (+7,8%), Centro-Oeste (+4,6%) e Sul (+4,2%) superaram o restante do país, enquanto Sudeste (+2,3%) e Nordeste (-0,3%) tiveram desempenho inferior ao crescimento das vendas nacionais.

As vendas no comércio eletrônico são vendas de bens e serviços nas quais os compradores fazem um pedido ou o preço e os termos da venda são negociados pela Internet, em um dispositivo móvel (M-commerce), Extranet, rede EDI (Electronic Data Interchange), correio eletrônico ou outro sistema online comparável. O pagamento pode ou não ser feito pela internet.

Já balanço feito pelo AliExpress com seus consumidores brasileiros nos anos de 2020 e 2021 revela mudanças relevantes nos hábitos de compras online no país e que refletem a evolução da pandemia na sociedade brasileira.

No fim de 2020, os itens que mais registraram alta em vendas em todo o período foram produtos para o conforto no lar, como objetos de decoração e cuidados com o jardim, além dos eletrônicos voltados à conectividade, como microfones e webcams. Reflexo de um momento em que estudantes e profissionais passaram a trabalhar e fazer aulas remotamente, as vendas de câmeras cresceram mais de 18 mil % no último ano.

Já a análise dos itens mais vendidos em 2021, que se encerra esta semana, aponta que o consumo de eletrônicos e acessórios manteve-se em expansão, como a crescente venda de smartphones e fones bluetooth de marcas famosas. Novos itens ligados ao cuidado com a saúde, como umidificadores de ar, garrafas de água e relógios do tipo smartwatch, usados para monitorar atividades físicas, ascenderam para a lista dos 10 produtos mais vendidos no ano.

A lista reflete, ainda, o fato de em 2021 muitos brasileiros, já vacinados, deixarem o isolamento e retornarem ao convívio social, o que elevou a venda de produtos ligados à beleza, como maquiagem e itens fashion. O produto mais vendido nesta categoria, por exemplo, foi cílio postiço. Este acessório de beleza foi, ao longo de 2021, o sétimo item a mais gerar receita na plataforma do AliExpress para brasileiros. Na relação dos mais vendidos do ano, aparece também óculos de sol, outro indicativo de maior exposição a ambientes externos e viagens.

CONTATO COM O COLUNISTA   pietrobelliantonio0@gmail.com

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui