Selic, eleições, crédito habitacional: como se comportará o mercado imobiliário em 2022?

A expectativa é que a indústria da construção deve crescer 7,6% este ano em relação a 2021, segundo estudo do Sinduscon

Após um 2021 considerado por lideranças do setor como o melhor ano do mercado imobiliário, 2022 se inicia com grandes expectativas para o segmento. Estudo realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PR) estima que a indústria da construção deve crescer 7,6% em relação ao ano passado – desempenho bem superior ao da economia brasileira, cujas projeções atuais preveem avanço do PIB em 0,29%. Esse resultado positivo é reflexo do ciclo de negócios iniciado em 2021, com forte contribuição da taxa de juros nos patamares mais baixos da história. Alguns fatores, entretanto, podem influenciar nesse índice para 2022, como as recentes altas da taxa Selic (hoje em 9,25% ao ano), após uma série de quedas consecutivas, e as eleições que acontecem no próximo mês de outubro.

“Temos uma perspectiva boa em relação ao setor imobiliário como um todo. O número de imóveis licenciados mais que dobrou em 2021, ou seja, os lançamentos já estão acontecendo, então o nível de contratação de mão de obra para esses empreendimentos que já se iniciaram vai ser grande em 2022. Porém, temos pela frente um quadro eleitoral, as altas da taxa Selic, esperamos que isso não influencie no lançamento imobiliário, no crédito, e nem no financiamento de obras”, comenta o presidente do Sinduscon-PR, Rodrigo Assis.

O crédito imobiliário vem sendo considerado com o grande porto seguro do setor. Os empréstimos com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) acumularam 206,86 bilhões de reais entre dezembro de 2020 e novembro de 2021, um aumento de 79,6% em 12 meses, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Os financiamentos bateram recordes consecutivos. Para 2022 os financiamentos devem seguir em montante elevado. “Podemos ter uma queda entre 5% e 10% do volume financiado, mas as taxas de juros ainda estão abaixo de dois dígitos e seguem atrativas. Ainda melhor do que no período pré-pandemia, avalia a presidente da Abecip”, Cristiane Portella.

O otimismo em relação ao ano que está começando também é verificado entre as empresas do setor. Para a diretora comercial da Realmarka Construções, Kalliany Real, opções como a compra de imóveis na planta serão um diferencial importante que vai impulsionar o setor em 2022. “A nossa expectativa é de que o setor vai se manter aquecido, teremos mais ofertas de produtos em todos os segmentos com a retomada mais aquecida da economia e adequação do mercado para a nova realidade com a presença da pandemia. Acredito que os modelos de financiamentos para o cliente continuarão sendo ótimas opções para aquisição de um imóvel. O investimento neste setor, principalmente em imóveis na planta continuarão sendo um ótimo investimento”, afirma a empresária.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui