Verão é época dos atletas de fim de semana e das lesões musculares

Coordenador do Plantão Ortopédico do Hospital São Vicente Curitiba alerta sobre a necessidade de se prevenir para evitar acabar no pronto atendimento

Os dias mais quentes são um convite para as pessoas se exercitarem. Nesta época, é comum surgirem os atletas de verão e fim de semana, assim como se tornam comum também as lesões e traumas devido à falta de condições físicas.

Segundo o médico ortopedista e traumatologista Dr. Mário Armani, coordenador do Pronto Atendimento Ortopédico do Hospital São Vicente Curitiba, fazer exercícios físicos sempre é recomendado, mas com os devidos cuidados, inclusive para quem é sedentário ou faz tempo que não se exercita. “Se você fazia atividade física há muito tempo, há uma memória do que conseguia fazer, só que o seu corpo não está de acordo com essa memória, ou seja, você já não tem a mesma condição física que tinha antes. Por isso, é que ocorre com frequência as lesões em prática esportiva mesmo aquelas que são praticadas apenas no fim de semana”, explica.

O médico ortopedista e traumatologista ainda ressalta que muitas pessoas ficaram sedentárias nesses dois últimos anos. “Tivemos um período muito crítico da pandemia e as pessoas ficaram praticamente dois anos sem poder fazer atividades físicas ou esportivas, e agora, com uma fase mais controlada e amena da pandemia, as pessoas voltaram a fazer atividades e isso aumenta o risco de lesões.”

Os tornozelos e joelhos costumam ser os mais afetados, geralmente pelas distensões musculares, lesões de tendões e entorses de articulações. “As distensões musculares são mais frequentes nas coxas e panturrilhas, as lesões de tendão são mais comuns na região posterior do tornozelo e no tendão de Aquiles. Já as lesões ligamentares, ocorrem mais nos joelhos e tornozelos, principalmente em atividades como o futebol de final de semana e as corridas”, exemplifica o coordenador do Plantão Ortopédico do Hospital São Vicente Curitiba.

Dor local, inchaço e até hematomas na pele são sinais de que pode ter ocorrido uma lesão ou trauma. Sempre é necessário procurar um atendimento médico. Até que ocorre a consulta médica para definir o diagnóstico e tratamento, Dr. Mário Armani orienta que o lesionado pode colocar gelo no local, sempre por 20 minutos a cada 2 horas, e alerta: “lesões não diagnosticadas e não tratadas podem levar a quadros crônicos com dor de difícil controle e instabilidade articular, com possível degeneração articular acelerada, conhecida como artrose.”

Como prevenir as lesões e traumas?

Antes de iniciar qualquer prática esportiva, é fundamental procurar a orientação de um especialista, aconselha o médico. “Procure um profissional de educação física ou um profissional de fisioterapia para programar uma série de exercícios para deixar seu corpo em condições de fazer uma atividade física com segurança. Prevenir sempre é a melhor opção.”

É preciso ficar atento ainda aos equipamentos essenciais, como por exemplo, capacete para passeios de bicicleta, entre outros de acordo com cada esporte. “Para corridas, é preciso um tênis de boa qualidade com boa absorção de impacto. Existem inclusive marcas e modelos mais indicados para cada característica individual de pisada”, lembra o ortopedista e traumatologista.

Para quem já teve lesões anteriores, os cuidados precisam ser redobrados, pois elas podem se agravar, especialmente aquelas que foram tratadas e tiveram tratamento incorreto ou incompleto. “Nesses casos, as lesões musculares, principalmente, podem evoluir de uma distensão para até uma ruptura. Quem já teve uma lesão muscular, articular ou óssea deve sempre consultar seu médico especialista para programar o retorno gradativo à atividade física”, afirma o coordenador do Plantão Ortopédico do Hospital São Vicente Curitiba.

Sobre o Grupo Hospitalar São Vicente-FUNEF
O Grupo Hospitalar São Vicente-FUNEF, formado pelo Hospital São Vicente Curitiba, fundado em 1939, e pelo Hospital São Vicente CIC, inaugurado em 1973, atende a diversas especialidades, sempre pautado pela qualidade e pelo tratamento humanizado. Referência em transplantes de fígado e rim e nas áreas de Oncologia e Cirurgia, desde 2002 o Grupo é mantido pela Fundação de Estudos das Doenças do Fígado Kotoulas Ribeiro (FUNEF).

O Hospital São Vicente Curitiba é um hospital geral de alta complexidade. Em uma estrutura moderna, conta com pronto-atendimento, centros médico, cirúrgico e de exames, UTI, unidades de internação e centro de especialidades. Possui o selo de certificação intermediária de transplantes hepático e renal da Central Estadual de Transplantes do Paraná e seu programa de Residência Médica é credenciado pelo Ministério da Educação (MEC) nas especialidades de Cirurgia Geral, Cirurgia Digestiva, Cancerologia Cirúrgica e Radiologia.

A instituição integra ainda a lista de estabelecimentos de saúde que atendem ao padrão de qualidade exigido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, órgão regulador vinculado ao Ministério da Saúde. Mais informações no site www.saovicentecuritiba.com.br.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui