Cirurgia de catarata reduz risco de demência e Alzheimer, revela pesquisa

Estudo publicado na revista científica JAMA Internal Medicine mostra que risco de demência foi 30 % menor naqueles que fizeram cirurgia de catarata em comparação com aqueles que não fizeram

Crédito: Adobe Stock08

Muito difundida entre pessoas da terceira idade, a cirurgia para remover a Catarata pode ter outros benefícios além de melhorar a qualidade da visão dos pacientes. Um estudo recente publicado na revista científica JAMA Internal Medicine revelou que o procedimento diminui em 30% o risco de demência na população idosa. A pesquisa, denominada The Adult Changes in Thought (ACT), analisou cerca de 3 mil adultos acima de 65 anos. Além da chance menor de desenvolver a demência – característica que perdurou por uma década após a operação – o estudo mostrou ainda uma maior proteção desse público contra a o mal de Alzheimer.

A professora da Universidade de Washington (EUA) e coordenadora do trabalho, Cecilia S. Lee, explicou que “há células na retina, relacionadas à cognição e que regulam os ciclos de sono, que respondem bem à luz azul. A catarata bloqueia a luz azul e a cirurgia pode reativar essas células”. Maior causa de cegueira reversível do mundo, a catarata afeta principalmente pessoas da melhor idade, causando embaçamento da visão, embaralhamento das imagens e sensação de perda de foco.

Segundo o oftalmologista do Hospital de Olhos do Paraná, Dr. Marcelo Vilar, 65% dos pacientes acima dos 65 anos de idade apresentam algum sinal de catarata. “Esse estudo trouxe resultados animadores. Os pacientes com Alzheimer, por exemplo, tiveram uma melhora significativa da sua cognição, qualidade de vida e dependência de seus cuidadores. No procedimento de catarata conseguimos devolver a possibilidade da pessoa enxergar, interagir e receber os raios luminosos. Após a cirurgia, todas as células e sensações dentro dos nossos sentidos, entre eles o sentido visual, essa interação cognitiva, perceptiva e visual, houve um menor índice do desenvolvimento tanto da demência, quanto do Alzheimer”, explica Dr. Vilar.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, há 550 mil novos casos de catarata por ano no Brasil, sendo o procedimento com maior demanda no SUS (Sistema Único de Saúde). “A importância desse resultado apresentado no estudo reside na oportunidade que nos é oferecida, de orientar bem o paciente sobre esse possível benefício. Desta maneira soma-se um fator positivo associado a sua escolha por realizar a cirurgia de catarata. Portanto: benefício visual comprovado na imensa maioria dos casos, possibilidade de corrigir diversos tipos de grau (erros refracionais prévios) e ainda um fator de proteção contra a demência. Esta notícia nos deixa ainda mais orgulhosos e contentes por poder oferecer este benefício a nossos pacientes”, completa o oftalmologista do Hospital de Olhos do Paraná, Dr. Andreo Parra.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui