Ecossistema de Maringá está na final do Prêmio Nacional da Inovação

O estado do Paraná teve oito selecionados no Prêmio Nacional da Inovação (PNI) e a cidade de Maringá participa da final na categoria Consolidado.

Dentro do Ecossistema de Inovação de Maringá, iniciativas voltadas ao fomento do empreendedorismo, pesquisa e inovação em tecnologia estão em constante desenvolvimento

O Prêmio Nacional da Inovação (PNI), o maior na área do Brasil, tem como objetivo incentivar e reconhecer esforços bem-sucedidos de inovação e gestão da inovação nas empresas e nos ecossistemas brasileiros deste setor, seguindo as categorias Estágio Inicial, Desenvolvimento e Consolidado. Para participar do prêmio, os ecossistemas precisaram comprovar a implementação de ações, iniciativas e redes de relacionamento que evidenciem o fortalecimento deles nos últimos dois anos.

O Prêmio Nacional da Inovação (PNI) é uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). É a única premiação do país que entrega um relatório personalizado e gratuito a todas as instituições inscritas, com feedbacks, identificação de pontos fortes e oportunidades de melhorias, além do comparativo entre as candidatas da mesma modalidade.

O PNI recebeu 63 inscrições na categoria Ecossistemas de Inovação, dessas 58 atenderam os requisitos e 17 foram selecionadas para a próxima fase, sendo oito do Paraná. O Ecossistema de Inovação de Maringá foi classificado para a final na categoria Consolidado com os seguintes representantes: TecnoSpeed, Evoa, Smart Space UniFCV, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Sebrae/PR, CIM – Centro de Inovação, Hackerspace, Maringatech, Maringá Capital, Inovus ACIM e Prefeitura de Maringá.

Inovação impulsiona setores econômicos de Maringá

Dentro do Ecossistema de Inovação de Maringá, iniciativas voltadas ao fomento do empreendedorismo, pesquisa e inovação em tecnologia estão em constante desenvolvimento e movimentam diversos setores da economia. Desde 2007, empresas locais de TI têm discutido interesses com os representantes políticos da região e desenvolvido ações para impulsionar o mercado. Entre elas está a própria qualificação de mão de obra, estimulada com a aproximação a instituições de ensino. Além disso, a parceria realizada tanto com o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá quanto com o Sebrae, e a criação de duas aceleradoras, foram outros pontos decisivos para tornar a cidade um grande polo da Inovação.

O diretor de Inovação da Prefeitura de Maringá, Cesar Rael, diz que a cidade ter sido classificada para a fase final do Prêmio Nacional da Inovação (PNI) é uma grande conquista, que torna o desafio do poder público, frente à inovação, mais desafiador. “Maringá tem no seu DNA o espírito cooperativista e tem entre seus segmentos econômicos mais pujantes o TIC. Cremos que essa mistura tem levado Maringá a inovar quase que instintivamente”, acrescenta.

Érike Almeida, CEO da TecnoSpeed – uma das empresas maringaenses que está na fase final do PNI – ressalta que em Maringá todos seguem juntos para alcançar o melhor da gestão de inovação. “É uma honra e extremamente gratificante fazer parte do Ecossistema de Inovação de Maringá e, ainda, ter a oportunidade de participar do maior prêmio de inovação do Brasil e chegar à fase final. No entanto, mais do que isso, somos gratos por ajudar a promover oportunidades e contribuir com o ecossistema!”, finaliza.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui