Doença transmitida pelo Aedes Aegypti pode ser fatal para cães

Uma simples picada de inseto no seu cão pode esconder uma doença silenciosa, que se desenvolve de forma assintomática no início. Trata-se da dirofilariose, doença conhecida como verme do coração, cujo agente causador é o dirofilaria immitis, um parasita nematoide semelhante à lombriga. Ele se aloja na artéria pulmonar e no lado direito do coração dos cães quando atinge a fase adulta.

A gravidade da doença está diretamente relacionada com a quantidade de vermes que o portador possui, com a duração da infecção e com a resposta individual do hospedeiro. “Por isso mesmo, é difícil saber quando o cão está com dirofilariose, já que os recém-infectados geralmente são assintomáticos”, alerta a médica-veterinária cardiologista Amália Turner, do Hospital Veterinário Batel (HVB).

Transmissão da doença ocorre pela picada de mosquitos

Considerada uma doença parasitária cardiopulmonar, a transmissão ocorre por meio da picada de mosquitos, como o Aedes Aegypti, Anopheles e Culex, que tenham picado outro hospedeiro infectado previamente.

Ela explica que, uma vez na corrente sanguínea do cão saudável, as larvas vão para o tecido subcutâneo e muscular e, após aproximadamente 100 dias, chegam ao coração, alojando-se no ventrículo direito e nas artérias pulmonares do hospedeiro.

Ali, elas atingem a maturidade sexual, acasalam e liberam novas microfilárias na corrente sanguínea do hospedeiro, começando um novo ciclo.

Sintomas

No início, a doença é assintomática, mas, conforme a doença progride, por volta dos 7 meses, surgem os sintomas. A médica-veterinária aponta que os mais comuns são tosse crônica, perda da condição física, intolerância a exercícios, fraqueza, inquietude, respiração acelerada (taquipneia) e desmaios.

Nos estágios finais, o animal pode apresentar dificuldade para respirar (dispneia), bem como desenvolver acúmulo de líquido no abdômen (ascite) e nos pulmões (edema). “Os sintomas mais graves estão relacionados à maior presença de vermes adultos nas artérias pulmonares. Isso resulta em hipertensão arterial pulmonar, e pode levar à insuficiência cardíaca congestiva direita”, relata.

Diagnóstico e tratamento

Quanto antes for diagnosticada a doença, mais rápido e eficaz será o tratamento, aumentando as chances de ser bem-sucedido. 

No caso do verme do coração, diversos exames podem ser feitos para identificar o parasita, como testes sorológicos e ecocardiograma.

O tratamento pode ser feito com microfilaricidas, além de medicamentos para a doença cardíaca causada pelos vermes. 

Prevenção com uso de coleiras repelentes

Assim como outras doenças transmitidas por mosquitos, Amália explica que a melhor solução seria prevenir que o cão seja picado por meio do uso de coleiras repelentes e aplicação de vacinas. Além disso, existem medicamentos orais , tópicos ou injetáveis que podem proteger o pet. “Prevenir é sempre a melhor solução por meio de exames preventivos, check up uma vez ao ano ou sempre que surgirem sintomas no animal, bem como comportamentos atípicos. Tudo isso pode evitar complicações”, conclui.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui