Especialista dá 5 orientações para evitar fraudes financeiras

Cada dia surgem novas maneiras de enganar as pessoas para os golpes financeiros. Em 2021, esse tipo de fraude somou R$ 4,1 milhões em movimentações suspeitas, segundo o Indicador de Tentativas de Fraude da Serasa Experian. O número representa um aumento de 16,8% em relação ao acumulado de 2020.

O segmento de bancos e cartões foi o principal foco dos golpistas, com 2,3 milhões de tentativas de golpes, um aumento de 33,3% em 2021 em comparação com o ano anterior.

Em 2022, a situação pode ser agravada com a informação do Banco Central de que 28 milhões de correntistas, tanto pessoas jurídicas quanto físicas, podem resgatar valores que somam R$ 8 bilhões esquecidos nos bancos.

Foi o que bastou para que os criminosos entrassem em ação, criando sites falsos com consultas de fachada. Como resultado, já teriam sido enganadas cerca de 567 mil pessoas.

Falso 0800

Em novo formato de golpe financeiro, os fraudadores utilizam um falso 0800 para ganhar a confiança da vítima e obter dados financeiros com mais facilidade. Através de mensagens de texto, comunicam a vítima a respeito de um falso PIX realizado e que, não sendo reconhecido pelo correntista, deve contatar imediatamente o número 0800 informado na mensagem.

Por todas essas situações e novas formas de fraudes financeiras que surgem todos os dias, a advogada Rafaella Munhoz da Rocha, sócia-proprietária do escritório Filla e Munhoz da Rocha Advogados Associados, aponta alguns cuidados para minimizar a ocorrência desses golpes.

Vale lembrar que desde o último dia 10 de março passou a valer nova regra da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), segundo a qual as operadoras de telemarketing estão obrigadas a contatar os consumidores através de números com prefixo 0303. Por isso, é necessário aguardar com atenção e cuidado a possíveis novos golpes no mercado.

Confira as orientações da advogada para evitar fraudes financeiras:

1. Não informe senhas e informações sigilosas de sua conta ou cartões de crédito

As instituições financeiras não solicitam informações como senhas, tokens, número de cartão ou dados sigilosos por nenhum meio de comunicação, seja e-mail, telefone, sms ou whatsapp.

Tenha isso em mente e desconfie de pedidos nesse sentido e, na dúvida, entre imediatamente em contato com seu Banco.


2. Certifique-se de que está acessando canais oficiais


Os criminosos têm sido cada dia mais criativos e utilizam de e-mail, sites, redes sociais e aplicativos falsos, levando o usuário a crer que está acessando uma conta oficial e permitindo que seus dados sejam clonados.

Tome o cuidado de verificar se o domínio do e-mail remetente ou o site acessado correspondem ao padrão (“com.br” ou “gov.br” por exemplo).

Nas redes sociais e sites, busque pelo ícone de conta verificada e certificação de segurança, respectivamente. Não baixe aplicativos fora das plataformas oficiais, como Google play (android) e App Store (IOS).

E jamais abra links de remetentes desconhecidos ou não passíveis de verificação.

3. Seja discreto nas redes sociais e abuse dos filtros de privacidade


As informações pessoais compartilhadas de forma indiscriminada nas redes sociais têm sido matéria prima para os fraudadores.

Fotos e informações de perfil do usuário e contato têm sido utilizados, inclusive, para abertura de contas e obtenção de financiamentos e créditos consignados.

A que se refere ao compartilhamento de informações e dados pessoais menos é mais.

Utilize os instrumentos de privacidade da conta sem moderação, limitando o acesso e visualização da sua rede social aos seus relacionamentos reais.

4. Evite acessar sua conta utilizando wi-fi ou computadores públicos


Muito cuidado ao acessar sua conta corrente utilizando computadores e redes compartilhadas. Esse é o canal utilizado para acesso e clonagem de contas, senhas e e-mails.

5. Monitore seus extratos bancários e de cartões de crédito com frequência


Não deixe sua conta e seus extratos de cartão de crédito abandonados.

Utilize serviços de notificação de acesso à conta, utilização do cartão e consulta ao seu CPF. Quanto antes identificado o problema, mais ágil será o tratamento e solução.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui