Mês da Mulher| Doença rara da filha transforma carreira de executiva de contas

Mais uma história inspiradora sobre a força feminina e as conquistas das mulheres no mercado de trabalho  

Doença rara
Larissa Moog e a filha, Valentina
Divulgação

Março é o mês que marca as conquistas sociais, políticas, econômicas e culturais das mulheres, que são força motriz da sociedade e das empresas, mas ainda enfrentam todo tipo de obstáculos quando o assunto é carreira. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados em 2021, mostram que a presença das mulheres no mercado de trabalho aumentou nos últimos cinco anos, mas elas seguem ganhando menos que os homens, mesmo ocupando cada vez mais cargos gerenciais e de liderança.

Aos poucos, com resiliência, criatividade e senso de oportunidade, elas cada vez mais se destacam no mercado de trabalho. Segundo a Forbes Mulher, empresas que têm mulheres na liderança lucram, em média, 21% a mais, com resultados operacionais 48% maiores, se comparados com a média da indústria.

Apesar de um cenário favorável às empresas e desigual às mulheres, existem exceções e muitas companhias avançam nos negócios, respeitando e reconhecendo a força de trabalho das mulheres. É o caso de Larissa Moog, que há quatro anos assumiu a função de executiva de contas da Vuelo Pharma, empresa de produtos para cuidados da pele com feridas, autocuidado e bem-estar.

Como a executiva chegou a esse cargo é inspirador e demonstra a capacidade de resiliência e determinação que uma mulher é capaz de desenvolver na vida pessoal e corporativa. Em 2013 a pequena Valentina, sua filha, foi diagnosticada com a Síndrome de Stevens-Johnson, doença rara e grave, que pode afetar a pele, membranas mucosas, genitais e olhos.

Era uma terça-feira de Carnaval quando a menina, na época com 2 anos e 11 meses, teve mais de 90% do corpo afetado pela doença, com perda de pele e mucosa oral, boca e esôfago atingidos. Larissa buscou atendimento hospitalar. Foram três dias de tratamento com antibioticoterapia, mas o que realmente trouxe a cura para a Valentina foi um curativo capaz de substituir temporariamente a pele humana – a Membracel – à base de membrana de celulose bacteriana cristalina e de uso médico. Produto que leva a marca Vuelo Pharma.

Na luta com o tratamento e focada no bem-estar de Valentina, Larissa mergulhou fundo no estudo do produto, na sua melhor aplicação, na forma de usar. Como outros pacientes que utilizam a Membracel, ela recebeu orientação da empresa e se aproximou ainda mais do universo de soluções voltadas a quem tem doenças raras.

Valentina precisava de curativos para o corpo todo e a Vuelo doou integralmente o produto para o tratamento, que durou onze dias. Os resultados vieram e foi quando Larissa viu sua energia materna ser canalizada para a carreira profissional. Em 2018, alguns anos após o diagnóstico da filha e ganhando cada vez mais experiência no mercado da saúde, ela foi convidada a assumir a função de executiva de contas da Vuelo, onde atua até hoje, representando a marca e ajudando outras famílias que enfrentam a mesma situação.

Prestes a completar 12 anos, Valentina hoje tem a pele completamente restaurada e sem cicatrizes. “A Membracel salvou a minha filha, tenho certeza absoluta. Valentina foi uma guerreira, por que é uma doença muito complicada”, explica Larissa.

“A história da Larissa é uma história inspiradora, de uma profissional com motivos excepcionais para estar feliz e realizada. Além de ser uma mãe incrível, é uma excelente executiva, com resultados muito positivos para a empresa. Um exemplo da força feminina que move as mulheres em suas mais variadas funções na sociedade”, diz Thiago Moreschi, CEO da Vuelo.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui