Peça provoca reflexão na retomada cultural

Peça provoca reflexão na retomada cultural
Elenco da peça se eu fosse Deus crédito Daniel de Mattos Keller

A retomada do setor cultural está ocupando lentamente os espaços criativos da capital paranaense. Ainda com muito cuidado, o setor teatral comemora a volta do ator em cena e do público presencial. A peça Se Eu Fosse Deus, em cartaz na Cia. Do Abração (Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725, Bacacheri) é um exemplo disso. Em cartaz há três semanas, a montagem dirigida por Daniel de Mattos Keller, tem sido um sucesso de público e mostra que existe uma demanda muito grande de pessoas interessadas em voltar a frequentar os teatros. “Nós fomos um dos primeiros setores a fechar durante a pandemia e estamos sendo um dos últimos a voltar. As pessoas estavam com saudades de assistir as peças ao vivo”, analisa o diretor.

O público, por sua vez, vem prestigiando as apresentações – sempre aos sábados e domingos – com casa cheia. A peça Se Eu Fosse Deus continua por mais três finais de semana até o dia 10 de abril. Keller avalia que nessas primeiras semanas o público reagiu muito bem e, ao mesmo tempo, foi surpreendido com um texto que trabalha temas atuais e questiona: se fosse você Deus, como seria a sociedade em que você vive? “A peça traz como elemento de provocação, o julgamento. Ao mesmo tempo, apresentamos isso de forma suave, por meio de personagens típicos e de fácil identificação para que o público possa refletir e levar essas discussões para dentro do seu próprio cotidiano”.

Machismo, religião, intolerância, submissão são apenas alguns dos temas que estão presentes no texto de Oderval Figueiredo que, a partir de uma reunião de condomínio, apresenta sete personagens com personalidades diferentes e conflitantes. O diretor Daniel de Mattos Keller acredita que é fundamental provocar a discussão dessas divergências com uma sociedade contemporânea tão dividida. “Nós ficamos muito tempo fechados em casa. Agora que estamos voltando para os espetáculos presenciais é fundamental que a arte e a cultura, por meio de uma apresentação teatral, promovam uma reflexão sobre o momento que estamos vivendo. Esse é o nosso objetivo com essa apresentação teatral e o público está aprovando”, finaliza.

Serviço: Se Eu Fosse Deus. Texto: Oderval Figueiredo. Direção: Daniel de Mattos Keller. Elenco: André Moiano, Angélica Bueno, Patty Sozzi, Lara Moutinho, Kaue Marquetti, Luana Johnson e Vilson Kurz. Participação especial de Anidria Zielinski. Trilha original de André Richter. Maquiagem de Taynara Siqueira.

Cia. Do Abração (Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725, Bacacheri). Ingressos: R$30 – a venda pela plataforma Sympla: https://www.sympla.com.br/eventos?s=se+eu+fosse&tab=eventos. Classificação: 16+. Apresentações aos sábados, às 19h30, e domingos, às 18h30. A temporada prossegue até o dia 10 de abril.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui