9 em 10 trabalhadores de logística consideram a tecnologia como fundamental para sua função

Líder global no segmento de logística, a DHL divulgou um relatório com informações relevantes sobre como os funcionários da área se relacionam com a tecnologia. A partir da pesquisa, nove entre dez entrevistados acreditam que a tecnologia é útil em suas carreiras.

Essa constatação vem ao mesmo tempo em que cada vez mais a tecnologia está inserida no meio. Ainda de acordo com o estudo da DHL, as novas gerações estão impulsionando o setor de logística para o lado das inovações, incluindo as sociais, como sustentabilidade, diversidade e inclusão.

Naturalmente, a tecnologia vai ser protagonista nos próximos anos para quem trabalha com logística. Ainda assim, a Inteligência Artificial (AI) não será a única a ter muita relevância nos estoques, pois a mão de obra humana nunca ficará para trás. Assim, o setor deve migrar gradualmente nos próximos 30 anos para sistemas exercidos por pessoas.

Esse cenário representa o futuro do trabalho. Isso porque cada vez mais os sistemas de computadores e softwares serão primordiais entre as indústrias. E o setor de armazenamento e envio de produtos não é exceção. Afinal, se pensarmos em ferramentas como a WMS, fica fácil perceber como a AI pode revolucionar o dia a dia.

Segundo Diego Oliveira, Gerente de Logística da SHL Fulfillment Alphaville, em São Paulo, a tecnologia ajuda os colaboradores dos armazéns melhorando a performance e desempenho, minimizando erros, diminuindo os obstáculos e otimizando o tempo.

Tecnologia WMS

Atualmente, O WMS é uma das tecnologias mais presentes no sistema de armazenamento. Sigla em inglês para Sistema de Gerenciamento de Armazém, ela foi desenvolvida para administrar atividades, produtos e equipes de um depósito. A partir disso, auxilia no gerenciamento de informações de estoque, sendo participativa em todas as fases da logística.

Na prática, o WMS sistematiza a chegada, a catalogação, o picking, expedição de pedidos, alocação, reposição e otimização do espaço. Ou seja, a partir de um sistema de computadores, é possível acompanhar cada etapa de uma mercadoria presente no armazém, desde sua chegada até o momento em que é mandada para o comprador.

Isso acontece devido a um sistema simples mas eficiente de controle: quando uma nova mercadoria é colocada no local, recebe um código, denominado SKU. Esse número funcionará como a identificação do item, o qual entra no inventário com informações relevantes, como data de validade e lote.

Com isso, o controle dessa mercadoria é facilitado. O estoque fica mais orgânico e funcional e não se perde mais tempo com questões antes comuns nos armazéns, como extravio de itens. E os funcionários se adaptam facilmente ao novo software, pois ele é simples de usar e extremamente funcional. Não há complicações ou burocracias exageradas.

“O WMS ajuda na gestão de itens no armazém porquê te mostra a localização dos erros que estão ocorrendo na operação e ao mesmo tempo te dá a opção de corrigi-los. Atualmente o WMS é uma ferramenta indispensável em um armazém, não consigo imaginar um armazém sem WMS”, expõe o Gerente de Logística.

Uma nova era

Bom, os números apresentados pela DHL ilustram como os próximos anos serão revolucionários para quem trabalha com logística. Mas o ideal é se adiantar e já implementar os novos sistemas, os quais possuem grandes vantagens para o funcionamento de armazéns. O e-Ship WMS é um acerto nessa linha: oferece as melhores soluções para o seu depósito, ajudando nas etapas de Armazenagem, Separação de Pedidos, Embalagem e Expedição de Encomendas.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui