Caixa reduz juros do financiamento habitacional atrelado a poupança e aumenta concessão de crédito para R$ 170 bilhões

Medidas prometem aquecer o mercado imobiliário

 

Visando estimular o crescimento dos financiamentos e o aquecimento do mercado imobiliário, a Caixa Econômica Federal anunciou no final de março a redução dos juros dos financiamentos habitacionais atrelados a poupança, em 0,15 ponto percentual. Segundo o presidente do banco, Pedro Guimarães, as novas taxas partem de 2,8% ao ano mais a remuneração da poupança, sendo que a taxa anual máxima vai a 8,97% ao ano. A nova regra entrou em vigor no último dia 28/03.

Em entrevista ao portal da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o executivo explicou que se trata de “uma redução para o fundo da poupança, com rendimento a 6,17%. Reduzimos 2,8%, isso significa que o funding de poupança, de fato, está abaixo de 9%”.

Outra boa notícia anunciada pelo presidente da Caixa é que as concessões de crédito imobiliário vão aumentar em 20% neste ano, para a faixa de R$ 165 bilhões a R$ 170 bilhões. “O setor da construção é fundamental para que o Brasil saia de crises. O anúncio da Caixa reforça essa premissa e vai permitir maior geração de emprego, renda e possibilitar maior acesso à casa própria para os brasileiros”, complementou Guimarães.

Tanto os juros menores no financiamento quanto o aumento nas concessões de crédito devem impactar positivamente o setor imobiliário, avalia a diretora comercial da Realmarka Construções, Kalliany Real. “Historicamente, os financiamentos habitacionais ajudam a fomentar o setor de forma muito consistente. Só em 2021, por exemplo, foram liberados R$ 255 bilhões em crédito habitacional, um número recorde. Com essas novas taxas anunciadas pela Caixa, esperamos um crescimento nos pedidos de financiamento para esse ano”, afirma Kalliany.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui