Como se proteger das principais doenças do inverno

Para evitar o contágio de doenças como gripes e resfriados, a vacinação e outros cuidados são fundamentais

Vacinação é essencial para a prevenção de gripes e doenças respiratórias típicas do inverno.

O frio está chegando e, com ele, os males mais comuns desta época do ano: gripes, resfriados, sinusites, rinites, pneumonia e outras doenças respiratórias.

Para se blindar de vírus e infecções, alguns cuidados devem ser tomados. Reforçar a imunidade é um deles. Segundo Mauro Scharf, diretor médico da Unimed Laboratório, uma alimentação balanceada e nutritiva, uma boa hidratação e noites bem dormidas são muito importantes para manter a saúde em dia. “Além disso, devemos manter as lições que aprendemos com a pandemia de COVID-19: evitar aglomerações e ambientes fechados, higienizar constantemente as mãos e usar máscaras quando for necessário”, completa.

Vacinar-se contra as principais viroses de inverno também é fundamental. O grau de eficácia das vacinas pode variar de acordo com as condições clínicas, idade, presença de outras doenças, e uso de medicamentos. Entretanto, de uma forma geral, elas têm uma altíssima eficácia, e mesmo na ocorrência de infecção, os sintomas são geralmente atenuados, evitando complicações mais graves.

A mais procurada nos meses de outono e inverno é a vacina contra a influenza. Este ano, dois tipos de imunizante estão sendo ofertados. A trivalente conta com duas cepas de influenza A, a H1N1 e a H3N2, e uma linhagem de influenza B, a Victoria. Já a opção tetravalente tem uma linhagem adicional do tipo B: a Yamagata.

A cepa H3N2, batizada de Darwin, foi a que causou surtos regionais da doença no Brasil, no último trimestre do ano passado.

“Todos os anos, os imunizantes contra a influenza têm a sua composição definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que divulga ao Brasil e outros países quais cepas circularam mais no inverno do hemisfério norte, que chega antes”, explica Scharf.

O indicado é não esperar o inverno chegar e se imunizar assim que a vacina estiver disponível pelo SUS e pelas clínicas e laboratórios. Assim você prolonga a proteção contra as doenças no período mais crítico de contaminação.

Segundo Scharf, maiores de 12 anos podem tomar a vacina de COVID-19 e da gripe ao mesmo tempo. “Os menores a essa idade que tomarem a injeção contra o coronavírus, no entanto, precisam fazer um intervalo de 15 dias para tomar outras doses, até melhores evidências.”

Serviço:

Para consultar a disponibilidade das vacinas, acesse o site unimedlab.com.br ou entre em contato pelo telefone ou WhatsApp (41) 3021-5252.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui