Embalagem de papelão: custos e imagem através dos tempos

O homem em sua constante necessidade de se reinventar diante do mundo, desenvolveu alternativas, e encontrou soluções para seus problemas. Muitas das invenções, fórmulas ainda são válidas no mundo de hoje, porém para Renato Pádua, Gerente Comercial da CWBem, o mundo não funciona como há 50 anos e a sociedade não consome as mesmas coisas. Os processos de produção são mais rápidos e muitos modelos de negócios precisam se ajustar às mudanças, e a caixa de papelão é um destes exemplos:

“Desde a sua criação, por volta de 1870 e até hoje, o papelão venceu a batalha contra a caixa de madeira como embalagem de transporte em produtos de grande consumo, quando em 1871 Albert L. Jones deu os primeiros passos para proteger vários frascos de perfume com este material”.

Desde então, a embalagem de papelão começou a ganhar uso quase ilimitado: é forte, leve, além de apresentar um baixo custo de produção em massa e o fator da personalização, que reforça a identidade da empresa.

Tempos modernos para as embalagens de papelão
Há pouco tempo, as embalagens de papelão eram descartadas quando chegavam ao seu destino, mas mudanças no padrão de gastos com logística somadas aos hábitos de consumo ecologicamente corretos exigiram soluções sustentáveis.

“É evidente que a logística reversa gera otimização dos custos. Uma única caixa de papelão pode ser reaproveitada inúmeras vezes, evitando nova fabricação, que do ponto de vista ecológico, traz uma boa imagem para os consumidores cada vez mais preocupados com fatores ecológicos”.

Uma caixa de papelão usada diversas vezes significa menos aquisições – e a mesma situação acontece com os paletes e demais produtos pós-consumo como embalagens de produtos químicos, incluindo as utilizadas em agrotóxicos:

“Embalagem descartada é mais custo operacional e traz um problema do ponto de vista da degradação de nosso planeta. Criar estratégias adequadas de utilização de papelão levou empresas a inovarem no design e implementação de embalagens que podem ser reutilizadas por duas, três, quatro ou quantas vezes forem necessárias” lembra Renato.

Mudança urgente nas empresas
Para Renato, empresas que ainda não tenham adotado a logística reversa com embalagens de papelão estão perdendo não apenas dinheiro, mas também uma oportunidade de se posicionar no século XXI: “São dois ganhos em uma única ação. Qualquer empresa pode adotar essas soluções através de projetos personalizados que contemplem a realidade de seus negócios” completa o especialista

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui