Haroldo Bontempo e Mariana Cavanellas transformam a opressão cotidiana em poesia libertária no single “Brasil, 17h”

 

Haroldo Bontempo faz das suas canções um reflexo de seu momento, sempre pelo prisma emocional e pessoal. Esse diálogo musical continua no novo single de seu próximo disco, homônimo. “Brasil, 17h” é uma composição sobre não sucumbir diante daquilo que nos oprime – seja uma questão de saúde mental ou mesmo a realidade social de onde se vive. Ao lado da cantora Mariana Cavanellas, o artista faz uma poética dança de libertação das dores cotidianas. O lançamento em todas as principais plataformas é do selo yb music  e ganha um clipe assinado pelo aclamado Rollinos.

A nova faixa é um encontro de dois artistas que circulam com desenvoltura pelo cenário autoral mineiro e nacional. Haroldo é conhecido pelo seu trabalho com a banda Mineiros da Lua, enquanto Mariana passou por Rosa Neon e Lamparina. Em comum, ambos trazem a inquietude criativa que os motiva a buscar sempre novos limites para sua música.

Apesar de ser focada na interpretação de Cavanellas, “Brasil, 17h” partiu de um lugar muito pessoal para Haroldo. Refletindo sobre suas próprias questões emocionais, o compositor logo se deu conta de que a narrativa de desgaste diante dos lutos e lutas do dia-a-dia é algo compartilhado por muitos brasileiros.

“Era início de 2020, 2019 não tinha sido nada fácil e até o clima lá em casa estava pesado. Escrevi a música num momento de tristeza que eu estava me sentindo oprimido, por questões emocionais e de rotina e queria me livrar daquilo. Tinha uma viagem para Vitória marcada, visitar meu irmão, daí veio o refrão, o banho de mar simbolizando um alívio. A letra veio disso. Depois de ler e reler pensei que aquele sentimento que eu tinha pode ser o de muitos outros, tanto quem está sendo oprimido pelos outros, ou pela rotina, pelo trabalho, desde então considero essa música política. Isso fica bem claro no refrão final: ‘’não vão me PRIVAR de um banho de mar’, referência para um governo que poupa preocupações privatizando serviços pelo bem do custo benefício”, reflete o músico.

O novo disco de Haroldo Bontempo será o primeiro passo em sua carreira solo após a bem recebida estreia “Músicas Para Travessia”. O próximo trabalho já teve um single revelado – “Lamento de Solidão”, também com Mariana Cavanellas e Lucca Noacco – e segue o amadurecimento estético e lírico do artista para além dos gêneros do samba, MPB, bossa e choro que sempre guiaram suas experimentações musicais. Além disso, com a banda Mineiros da Lua, Haroldo já lançou também os discos “Queda” (2019) e “Memórias do Mundo Real” (2021), e o EP “Turbulência” (2017), ganhando destaque em nível nacional. Ainda acompanha como guitarrista o cantor e compositor mineiro Arthur Melo.

Agora, Bontempo abre caminho para uma nova fase de exploração artística. Nesse processo, ele recorreu a novos e familiares colaboradores. A produção é assinada por Leonardo Marques (Maglore, Young Lights) na Ilha do Corvo, bem como as percussões, a gravação, mixagem e masterização do single. Nesta música, Haroldo recebe Estevan Barbosa (bateria), Ingrid Máximo (baixo acústico) e Lucca Noacco (piano e teclado). O vocal de Mariana Cavanellas, que seria apenas a partir da metade da música, surge como uma grata surpresa desde o início.

“Desde o primeiro dia que fiz a música, ouvi a voz da Mariana nela… Já nos conhecíamos e eu já tinha enviado músicas minhas para ela, mas essa eu verdadeiramente ouvi ela cantando. Quando enviei, foi um estouro, ela topou na hora e teceu elogios à música, ficou super animada. Pessoalmente eu tinha pensado nela entrando no meio da música, chegando no estúdio que ela pediu pra fazer um take inteiro e nossa, ficou bom demais!”, comemora Haroldo.

O novo álbum, a ser lançado em breve pelo selo yb music, marcará um novo capítulo na trajetória artística de um criador inquieto. Compondo desde os 12 anos e atuante na cena alternativa belorizontina há alguns anos, ele agora mostra uma nova coleção de canções próprias e inéditas. O disco trará participações especiais de nomes como a banda capixaba Chorou Bebel, a rapper Nabru e Vinicius Mendes Rodrigues.

Enquanto isso, é possível ouvir “Brasil, 17h” e “Lamento de Solidão” em todas as principais plataformas de música.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui