O que precisamos saber sobre o papel do neurocirurgião

Hoje, 14 de abril, comemoramos o Dia Nacional do Neurocirurgião, especialização que tem como foco cirurgia no cérebro, coluna e todas as ramificações nervosas do ser humano. 

O que precisamos saber sobre o papel do neurocirurgiãoHoje, dia 14 de abril, comemoramos o dia nacional do neurocirurgião, mas você sabe o que faz este profissional? O neurocirurgião atua com procedimentos cirúrgicos no sistema nervoso central e periférico, incluindo o cérebro, coluna e todas as ramificações nervosas. Segundo a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, existem mais de 2.800 neurocirurgiões em atividade no país.

Atualmente ainda existem algumas dúvidas relacionadas a esta profissão. De acordo com a neurocirurgiã Danielle de Lara, que atua no Hospital Santa Isabel (Blumenau/SC), a maioria dos pacientes que procuram um neurocirurgião são encaminhados por um clínico geral, um neurologista ou um ortopedista. “Isso acontece porque o neurocirurgião é o especialista que realiza o tratamento cirúrgico das doenças do sistema nervoso como aneurisma, hidrocefalia e tumor cerebral. O sistema nervoso é o canal de comunicação do cérebro ao restante do corpo, coordenando desde o ato de caminhar até os batimentos do coração”.

Diferenças entre neurologista e neurocirurgião

As duas especialidades podem trabalhar juntas, uma complementando a outra. Danielle explica que o neurologista é especialista em diagnóstico e tratamento de todas as doenças do sistema nervoso, desde as complicações neurodegenerativas até os distúrbios do sono, porém ele não realiza procedimentos invasivos e cirurgias. “Quando surge a hipótese do tratamento cirúrgico, o neurologista encaminha o paciente para um neurocirurgião, o qual avaliará a necessidade e a possibilidade do procedimento cirúrgico”.

Doenças que um neurocirurgião trata 

A avaliação do neurocirurgião é sempre importante para descartar a possibilidade de tratamento cirúrgico de algumas doenças. Danielle explica que a neurocirurgia é dividida em alguns tópicos, sendo:

Neurocirurgia Geral, que engloba doenças como tumores cranianos e encefálicos, infecções e cistos.

Base de crânio, que cuida de doenças, tumores e malformações, que acometem a porção inferior do cérebro e as estruturas vitais que ali estão, dentre elas os nervos dos olhos e a glândula hipófise. Essa especialidade também atua oferecendo acessos cirúrgicos por outras vias além da caixa craniana, como os acessos através do nariz.

Cirurgia de Coluna, engloba traumas, doenças degenerativas (artrose, bico de papagaio, hérnia de disco e doenças congênitas (escoliose, desvios).

Neurovascular, que são aneurismas cerebrais, malformações arteriovenosas cerebrais e raquidianas, cavernomas e AVCs.

Neuro-oncologia, que engloba tumores e câncer.

Neurocirurgia Pediátrica, que está aliada a casos de Hidrocefalia, Mielomeningocele, malformações do crânio e da coluna, Epilepsia, cistos, tumores, infecções, entre outras.

Neurocirurgia Funcional, que são casos de Epilepsia, dores crônicas de coluna ou cabeça, depressão, síndromes demenciais e extrapiramidais (Parkinson, Alzheimer).

Nervos Periféricos que envolve doenças como Síndrome do túnel do carpo, traumatismos, Plexopatia braquial, cervical, lombar e sacral e Síndrome do desfiladeiro torácico.

Sintomas e prevenção de doenças 

Danielle de Lara menciona alguns sintomas que sinalizam a necessidade de consultar um neurocirurgião. “A pessoa precisa ficar atenta a crises epilépticas, formigamentos, perda de memória, movimentos involuntários e alterações do estado mental, ou seja, confusão e agitação”. Além disso, é recomendado procurar a avaliação de um neurocirurgião quando há histórico na família.

Alguns cuidados podem ajudar na prevenção das patologias neurológicas. A neurocirurgiã explica que uma avaliação e um check-up anual sempre são bem-vindos para evitar doenças, ou, caso necessário, começar o tratamento o quanto antes.  “Podemos e devemos cuidar da nossa saúde neurológica com alimentação balanceada, exercícios físicos e atividades mentais, além de evitar ou reduzir o consumo de álcool e tabaco”.

Sobre Danielle de Lara

Médica Neurocirurgiã em atividade na cidade de Blumenau (SC). Atua principalmente na área de cirurgia endoscópica endonasal e cirurgia de hipófise. Dois anos de Research Fellowship no departamento de “Minimally Invasive Skull Base Surgery” em “The Ohio State University MedicalCenter”, Ohio, EUA. Graduada em Medicina pela Universidade Regional de Blumenau. Possui formação em Neurocirurgia pelo serviço de Cirurgia Neurológica do Hospital Santa Isabel.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui