Vilões do emagrecimento: médica da família aponta os fatores que podem atrapalhar a dieta

O relatório Estatísticas da Saúde Mundial de 2021, divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que mais de um quinto (22%) da população adulta está obesa, sendo 10,8% entre cinco e 19 anos. A médica da família e diretora técnica da Higia Clinic, Marcia Simões (CRM 33207), afirma que a obesidade é uma doença e precisa ser tratada. “Ela é responsável pelo desenvolvimento de outras patologias, como as cardíacas, hipertensão e diabetes. O excesso de peso mantém o organismo inflamado e propenso a outros agravamentos”, alerta.

A obesidade é medida pelo Índice de Massa Corpórea (IMC), calculado pelo peso em quilograma dividido pelo quadrado da altura. O IMC saudável vai até 25, sobrepeso até 29 e obesidade acima dos 30. Confira os fatores que prejudicam o organismo e bloqueiam o emagrecimento do organismo, segundo a médica:

– Medicamentos milagrosos

Hoje encontramos facilmente dietas e medicamentos que prometem uma perda rápida de peso e pasmem, são vendidos sem receita médica. O que vemos nesses casos é uma perda de peso muito rápida na balança, porém, com ele se vão as vitaminas e minerais do organismo, além da tão preciosa massa magra. O processo de emagrecimento deve ser aliado com uma mudança de hábitos, tanto alimentares, quanto de exercícios físicos. Criando um novo hábito de vida, é possível perder peso com saúde e, principalmente, mantê-lo por mais tempo;

– Alimentos inflamatórios

Os alimentos inflamatórios são aqueles produzidos em altas temperaturas e que utilizam muitos conservantes no preparo para que tenham uma validade maior, ou seja, geralmente os alimentos processados. Evite frituras e alimentos muito gordurosos, biscoitos industrializados, salgadinhos, macarrão instantâneo e refrigerantes. As altas doses de conservantes atrapalham o ritmo de funcionamento do organismo e, consequentemente, o processo de perda de peso. A dica é consumir mais verduras, legumes, comidas não processadas, in natura e preparadas em casa;

– Sedentarismo

Segundo a OMS, até 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas se a população global fizesse mais exercícios. Para ser considerado fisicamente ativo, é necessário realizar qualquer prática de atividade física por mais de 150 minutos semanais, ou seja, por meia hora durante cinco dias por semana. Se a atividade for vigorosa, 75 minutos semanais são suficientes. A prática regular de exercícios físicos aumenta a capacidade cardiorrespiratória e acelera o metabolismo, elevando o gasto energético, além de trazer a sensação de bem-estar;

– Estresse e ansiedade

Estresse e ansiedade são problemas que refletem diretamente na disposição, saúde, apetite e no bem-estar geral, e são gatilhos para um estilo de vida pouco saudável, como o sedentarismo, má alimentação, tabagismo e consumo de álcool. Segundo a OMS, o estresse atinge 90% da população mundial e quase 70% dos brasileiros. O equilíbrio emocional está diretamente ligado ao sucesso da busca por uma vida mais saudável e, consequentemente, do controle do peso.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui