Vai alugar um imóvel? Entenda a importância da vistoria

Documento ampara tanto o inquilino quanto o proprietário sobre possíveis danos nos imóveis

Quem já alugou um imóvel, sabe que sempre existe o laudo da vistoria. Alguns inquilinos acabam não dando importância para esse documento, mas ele é fundamental para registrar as condições do imóvel e ampara tanto quem ocupa o imóvel quanto o proprietário de possíveis danos e avarias.

De acordo com Rodrigo Vianna, presidente da Rede Imóveis, esse é um dos documentos mais importantes em um contrato de locação. “Nós nos baseamos no documento de vistoria para saber as condições do imóvel e mantê-lo sempre em ordem. A vistoria mostra como o estado do imóvel estava quando o proprietário ou o inquilino anterior deixou o local, e como o imóvel está, quando o inquilino atual estiver saindo”, detalha.

A vistoria é um laudo com uma descrição minuciosa e com fotos de todo o imóvel, que é feito antes da entrada do novo inquilino e logo após a sua saída. “O vistoriador observa tudo nos mínimos detalhes, pois na saída o imóvel precisa estar nas mesmas condições da entrada. Claro que existe o desgaste de uso. Por exemplo: o inquilino entrou com um piso novo, mas saiu dez anos depois. O piso estará desgastado, mas não pode estar riscado, danificado”, explica o presidente da Rede Imóveis.

Em todo contrato, o inquilino sempre tem um prazo para contestação do laudo de vistoria. A orientação é que ele faça uma comparação entre o imóvel e o que está no documento, observando tudo, detalhe por detalhe. “Ele precisa verificar se tudo aquilo que está descrito está exatamente como no imóvel. Se tiver algo diferente daquilo que foi descrito, precisa comunicar à imobiliária imediatamente para que possa ser verificado, alterada a vistoria ou ser consertado”, salienta. “Um exemplo é um piso com um defeito, isso precisa ser informado, pois no futuro o inquilino ou o proprietário pode reclamar. Se estiver na vistoria inicial, não tem como contestar!”.

Consertos de avarias

Rodrigo Vianna ainda lembra que podem acontecer alguns problemas entre a vistoria e a entrada do inquilino, que não são decorrentes de mau uso, como uma tomada apresentar algum defeito, uma torneira que quando começa a ter vazamento, entre outros. Nesses casos, é preciso conversar com imobiliária para verificar o que pode ser feito. “Se aquilo que está acontecendo no imóvel pode ser resolvido, será consertado. Como uma fiação com eminência de curto em uma tomada, pode ser feita a troca de fiação por conta do proprietário”, considera.

Quando existem avarias mais graves, existe a opção de rescisão do contrato, mas somente em situações que tornam o imóvel inabitável. “O imóvel tem um único banheiro que está com vazamento e precisa reformar todo o encanamento. Nesse caso, a pessoa ficará sem banheiro, então, pode ser feita uma rescisão sem ônus para nenhuma das partes, porque realmente o imóvel não tem como ser habitado”, analisa o presidente da Rede Imóveis.

Sobre a Rede Imóveis
Com 28 anos de atuação e pioneira na formação de Redes Imobiliárias no Brasil, a Rede Imóveis é uma associação de 11 imobiliárias tradicionais de Curitiba, com o objetivo de facilitar a negociação de quem quer comprar, vender ou alugar imóveis. A Associação Rede Imóveis é formada pelas empresas: Galvão, Imobiliária Razão, Kondor Imóveis, Baggio Imóveis, Imobiliária Cilar, Cibraco Imóveis, Imobiliária 2000, Futurama Imóveis, Habitec Imóveis, Paulo Celles Imóveis e Casa ao Lado. Mais informações no site www.redeimoveis.com.br.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui