A relação entre a obesidade e o câncer

Dados da Organização Mundial da Saúde – OMS apontam que mais de 1 bilhão de pessoas no mundo são obesas, sendo 650 milhões de adultos, 340 milhões de adolescentes e 39 milhões de crianças. A obesidade é uma doença, e não uma condição, que está relacionada em cerca de 30% dos casos de ocorrência de qualquer tipo de câncer, tornando-se, assim, a segunda causa de câncer no mundo, perdendo apenas para o tabagismo.

Uma pessoa é considerada obesa quando tem um IMC (índice de massa corporal) maior que 30. Vale lembrar que a obesidade também pode acarretar em outras doenças, como as cardiovasculares e diabetes. De acordo com a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer, existem 13 tumores associados à obesidade, como os de mama, ovário, intestino, fígado, tireoide, rim, esôfago, pâncreas, estômago e vesícula biliar. O cirurgião oncológico e especialista em Terapia Nutricional do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP, Vinícius Preti, aponta que a obesidade pode ser evitada com um estilo de vida mais saudável, incluindo alimentação equilibrada e prática de atividades físicas. “A prática de exercícios físicos diários é a maior aliada para manter o peso dentro do normal. Você deve buscar o exercício que se adapte melhor ou que goste mais. Qualquer atividade física é melhor do que nenhuma.”

Perda de peso é aliada no combate ao câncer

Um estudo recém-publicado na revista científica americana JAMA – The Latest Medical Research mostrou que a cirurgia bariátrica e, consequentemente, a perda de peso reduziu o risco de surgimento de câncer em pessoas com obesidade. A pesquisa acompanhou durante dez anos 30 mil pessoas e constatou que o surgimento de um tumor relacionado à obesidade cai 32% com a intervenção cirúrgica. Já para o câncer do endométrio a redução chega 53%. Também foi possível constatar que probabilidade de uma morte relacionada ao diagnóstico diminuiu 48% para esse grupo analisado.

“A obesidade é a segunda causa prevenível de câncer no mundo e deve se tornar a primeira na próxima década. O organismo do paciente obeso tem a imunidade prejudicada e os sistemas que matam as células pré-cancerosas prejudicados, com maior chance de vir a desenvolver câncer”, destaca Vinícius Preti.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui