Delivery de comida vira hábito para mais de 60% da população

O Brasil foi o 23º país em percentual de pedidos de restaurantes processados de forma totalmente online em 2021. É o que aponta estudo da Adyen, plataforma de tecnologia financeira, em parceria com a Euromonitor Internacional, intitulado “Relatório Setorial: Bares e Restaurantes 2021”. O estudo também aponta que apesar de ficar atrás de outros países na digitalização, o Brasil foi número-1 em delivery de comida em 2021 entre os 62 mercados analisados, incluindo EUA, México, Índia, China, Singapura e Argentina. Os pedidos de delivery pela internet, telefone ou WhatsApp representam mais de um terço da receita do setor, que faturou R$ 377 bilhões no ano último ano.

O relatório também aponta que 69% dos consumidores brasileiros utilizam o celular para pesquisar sobre restaurantes e 63% para fazer os pedidos de comida pela internet. Além disso, 30% usam mais de dois aplicativos de delivery. Outro dado é sobre o método de pagamento mais escolhido pelos brasileiros ao comprar refeição pela internet: 83% dos respondentes apontam o cartão de crédito como opção preferida. Já o uso do dinheiro em papel caiu de 41% em 2020 para 36% em 2021.

Apesar da preferência pelo cartão, o estudo avalia que a diversidade nos meios de pagamento digitais como Pix, e-wallets e vales aumentam as chances de conversão de novos clientes. Soluções de pagamentos unificadas entre canais e que sejam inovadoras, como links de pagamentos, se tornam quase que obrigatórias no setor. Os cartões de crédito são destaque também em outro dado levantado no relatório: os programas de fidelidade. Dos respondentes da Lifestyles Survey da Euromonitor International, 26% participam de programas promovidos por restaurantes.

Já pesquisa feita com 1.000 homens e mulheres entre 18 e 55 anos confirmou que o delivery de comida caiu no gosto do brasileiro e cresceu ainda mais após a pandemia: a prática, que era de 40,5% antes da pandemia, foi para 66,1% durante o período. Os dados são da pesquisa Consumo Online no Brasil, realizada pela agência Edelman e promovida pela empresa PayPal. O estudo analisou o setor de delivery de restaurantes no Brasil, tendo como referência dados até dezembro de 2021.

De acordo com o levantameto, mais de 93% dos entrevistados gostaram da experiência da compra virtual por economizar tempo (84%), para evitar o contágio pelo coronavírus (63,9%) e pela segurança dos pagamentos remotos (68,6%). Assim, se o delivery foi positivo para o consumidor, a expectativa é de ele tenha vida longa mesmo com a reabertura de bares e restaurantes e com a retomada da “vida normal”.

Estudo publicado em março pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), 94% dos estabelecimentos brasileiros que fazem delivery estão cadastrados no IFood, um terço dos restaurantes também tinham seus cardápios cadastrados no Uber Eats e com a saída desse player, acredita-se que a maior parte das vendas foi absorvida pelo líder de mercado.

CONTATO COM O COLUNISTA pietrobelliantonio1@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui