Empresas anti-burnout investem na saúde e bem-estar

72% da população economicamente ativa no país sofre com problemas relacionados ao estresse

De acordo com o levantamento da International Stress Management Association no Brasil, 72% da população economicamente ativa no país sofre com problemas relacionados ao estresse, sendo que destes, 32%, apresentam características de burnout. Na busca por soluções, empresas investem em atividades e iniciativas que proporcionem uma forma de trabalho mais flexível.

Em 2022 o Burnout foi classificado pela OMS como uma doença do trabalho e, de acordo com o Ministério da Saúde, trata-se de um “distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico, resultante de situações de trabalho desgastantes, que demandam muita competitividade ou responsabilidade”. Para o CEO do Market4u, Eduardo Córdova, é muito importante que as empresas e os gestores estejam atentos às suas equipes e busquem alternativas que exterminem, ou ao menos reduzam, essa situação. “Investir em bem-estar nas equipes é urgente e fundamental na busca para evitar o esgotamento e o estresse. Para isso, a atuação da empresa e dos líderes é imprescindível.”

Segundo estudo da Goethe University, na Alemanha, a relação entre o estilo de liderança e a redução do Burnout é ponto fundamental para o desencadeamento ou não da doença. Sendo que, entre as equipes estudadas, os líderes que ofereceram uma gestão por identidade compartilhada, onde todos da equipe podem opinar, tiveram equipes com baixo risco de Burnout. “Estar atento ao que os especialistas dizem é importante e tem direcionado as nossas ações, pois para nós o que importa é a produtividade e a felicidade de todos que estão conosco. Com isso em mente, o market4u busca incentivar o sentimento de identidade coletiva, por meio de uma gestão aberta e horizontal e com atividades internas que oferecem aos nossos colaboradores a sensação de pertencimento. Esse não pode ser o futuro, tem que ser o presente das empresas que quiserem se manter no mercado”, reforça Córdova.

Os líderes do presente devem ter algumas características em comum, quando o assunto é evitar o esgotamento mental das suas equipes, como: ser capaz de estimular o senso de pertencimento e criar uma identidade da equipe; não deixar transparecer o sentimento de hierarquização e ser visto como ser parte do time; defender os interesses da equipe e reconhecer os feitos; promover a o significado e o propósito do time. “Além do trabalho com a liderança, na busca de evitar o burnout, não medimos esforços por aqui e fazemos questão de oferecer um ambiente agradável e flexível a todos, com atividades descontraídas. Com isso, e sempre mais, acreditamos ser possível resguardar a saúde mental dos nossos colaboradores e sermos cada vez mais anti-burnout”, finaliza.

Eduardo Cordova lista algumas atividades realizadas dentro da empresa:

Horários flexíveis;
Momentos de descontração com opções de jogos;
Mesa de ping-pong para que os colaboradores tenham momentos de descanso;
Esteira para quem quiser se exercitar;
Happy hour depois das 17h;
Atividades com a família;
Confraternizações para quem está ingressando na empresa e eventos de comemoração de conquistas todo mês.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui