Namorados: consumidor vai gastar até R$ 200

Pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), encomendada à Pinion, aponta que as roupas, calçados e acessórios lideram a intenção de presentes para o Dia dos Namorados. De acordo com os entrevistados, pouco mais de 35% vão presentear na data, enquanto 49,3% disseram que não pretendem comprar e outros 15% não souberam dizer se vão às compras. Foram ouvidas 1.712 pessoas em todas as regiões do país.

Separadamente, do grupo de entrevistados que manifestou intenção de compra, 38,5% respondeu que vai gastar mais do que em 2021, enquanto 38,9% deseja o contrário. Em relação ao gasto médio, a maioria (77,2%) pretende gastar entre R$ 50 e R$ 200.

A pesquisa ACSP/Pinion revelou também que grande parte das compras será realizada em pequenos estabelecimentos (45,3%), em lojas físicas (63,1%), presencialmente. A forma de pagamento mais citada foi à vista (60,8%).

O economista da ACSP Ulisses Ruiz de Gamboa avalia que a intenção de compra de roupas e calçados aumentou levemente em relação à 2021, apesar de se manter abaixo do registrado durante o período pré-pandemia (60/70%). O economista aponta ainda que “nesta pesquisa aparecem itens que não eram mencionados no período anterior à Covid-19, tais como cesta de café da manhã e delivery de refeições, refletindo os hábitos do consumidor adquiridos durante o isolamento social.”

Pesquisa da Fecomércio RJ mostra que Dia dos Namorados vai movimentar R$ 807 milhões na economia fluminense

No Rio, sondagem do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec-RJ), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado, feita entre os dias 25 e 30 de maio, com 446 consumidores fluminense, mostra que 55,6% dos entrevistados pretendem presentear alguém no Dia dos Namorados, contra 44,4% que não têm intenção de comprar algo. Em 2021, o número de pessoas que tinham a intenção de presentear ficou em 60%.

As roupas ainda são as preferidas da maioria, com 41,5%, seguidas de perfumes e cosméticos, com 28,6%, e calçados, bolsas ou assessórios, com 28,2%. Segundo a pesquisa, o gasto médio com os presentes deve ficar em torno dos R$ 187, movimentando R$ 807 milhões na economia do estado. No ano passado, o gasto médio ficou em R$ 192 e a movimentação financeira foi de R$ 772 milhões.

Ainda segundo o levantamento, 52,4% dos consumidores entrevistados disseram que pretendem comprar os presentes em lojas físicas, enquanto 24,2% em lojas virtuais. 23,4% afirmaram que pretendem comprar em ambos.

Já de acordo com pesquisa encomendada pela Globo, 72% das pessoas pretendem presentear os parceiros neste ano. Em 2021, o faturamento do varejo eletrônico na data foi de mais de R$ 6 bilhões e o tíquete médio, de R$ 464, considerado alto pelo mercado. Com alta expectativa de vendas, especialistas recomendam que os lojistas se preparem com antecedência para atender a demanda e também aproveitar a oportunidade para atrair novos consumidores e fidelizar os antigos.

A pesquisa apontou que 31% das pessoas devem optar por comprar em marketplaces e 17% em comércio eletrônico que vendem apenas uma marca.

Neste ano, as categorias que devem se destacar na compra dos presentes são perfumaria (24%), roupas (24%) e doces (23%). No segmento de eletrônicos, os games são a primeira opção. O vinho (31%) e cervejas artesanais ou importadas (30%) estão no topo da intenção de compra das bebidas.

No estudo encomendado pela Globo, o frete grátis foi apontado por 82% dos entrevistados como principal motivação de compra. Já os cupons de desconto apareceram em 67% das respostas.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui