Rotina de sono da criança: por que ela é tão importante?

Ter uma boa noite de sono é fundamental para o desenvolvimento intelectual e cognitivo da criança, além da liberação do hormônio do crescimento. Dormir bem também auxilia na prevenção de doenças, ajuda a melhorar o aprendizado e é essencial para que a criança se desenvolva bem, tanto física quanto emocionalmente.

Mas tudo isso só é possível se os pais conseguirem criar uma rotina de sono adequada aos pequenos.

A médica pediatra do Hospital Otorrinos Curitiba, Dra. Luciane Valdez, do Hospital Otorrinos Curitiba, lembra que a criança precisa ter horários pré-estabelecidos para dormir e acordar, respeitando sempre o tempo de sono necessário conforme a idade.

“É importante relaxar a criança antes de dormir, reduzindo os estímulos de telas luminosas como celulares e tablets e evitar brincadeiras muito agitadas até 2h antes de dormir. Outro ponto importante é cuidar da alimentação, oferecendo pratos leves e saudáveis, sem estímulos como cafeína, doces e refrigerantes”, ressaltou a médica.

À medida que a criança cresce, o sono tende a se tornar mais regular. Bebês menores de 6 meses que precisam acordar para mamar durante a noite geralmente voltar a dormir após estarem satisfeitos.

Reconhecendo o lugar do descanso 

Alguns pais deixam o bebê dormir no colo primeiro e depois o levam para o berço; outros deixam a criança dormir na própria cama e depois a encaminham para o seu quartinho. Mas qual a maneira mais adequada quando o assunto é o descanso?

Para a especialista, o aconselhável é acostumar a criança a dormir na sua cama ou berço quando estiver sonolento. “Assim, ele vai se acomodando do modo mais confortável possível e relaxa até dormir. Fazer o bebê dormir no colo ou na cama dos pais e depois levá-lo ao seu quartinho pode causar desconforto e estresse. O ideal é a criança reconhecer o local onde irá dormir e descansar o mais precocemente possível”, ressaltou.

Até 1 ano é recomendado que o bebê durma no quarto dos pais, no berço dele.

Quarto da criança: silêncio!

A regularidade e a qualidade do sono vão depender da rotina estabelecida e do ambiente onde a criança dorme. A pediatra lembra que o ambiente deve ser o mais confortável e silencioso possível, e a luminosidade deve ser reduzida.

“Bebês com menos de 1 ano devem ter o berço sem protetores, cobertas soltas e travesseiros e colchões bem fofos. Após os 6 meses eles podem dormir com uma naninha ou um ‘amiguinho’, que é um objeto de transição. Importante os pais sempre ficarem atentos ao tipo de material e tamanho do objeto”, ressaltou Luciane.

Criança pode dormir no quarto dos pais?

É importante entender o que faz a criança ir para o quarto dos pais: provavelmente seja por insegurança causada por pesadelos ou pela dificuldade de dormir quando acorda durante a madrugada sozinho. “Nestes casos”, ressalta a pediatra, “é importante reforçar o quanto ela está segura, mostrando que não há perigo no quarto e que os pais estão próximos e disponíveis para qualquer necessidade”.

Uma orientação importante é estimular a criança a pegar no sono sozinho, reforçando de forma positiva a ‘conquista’ de passar uma noite inteira na sua cama dormindo. “É necessário ser positivo, mas firme, e estabelecer regras sem ser autoritário”, acrescentou Luciane.

Outro ponto fundamental é estimular a criança a criar o ambiente que possa ser mais agradável e seguro para ela, com trocas no ambiente de objetos ou roupa de cama. “É sempre importante ressaltar que é preciso ter paciência e muito carinho, pois o processo não é de um dia para o outro e pode haver períodos de piora”, alertou a médica.

E a chupeta, pode ou não pode?

A Dra. Luciane tirou duas dúvidas importantes quando o assunto são as chupetas. Confira:

Dar a chupeta para a criança dormir é uma boa saída?

Alguns bebês só relaxam e dormem se estiverem sugando, mesmo após satisfeitos com a amamentação. Nestes casos é importante manter a chupeta na boca para dormir, isso não causa riscos ou traz problemas ao bebê.

Qual o limite de idade para a criança continuar usando a chupeta?

O ideal é tirar a chupeta até os 2 anos, fase oral da criança. Mas ela pode ser mantida até os 3 anos, conforme recomendações da Associação Brasileira de Odontopediatria e do Ministério da Saúde.

Diretor Técnico do Hospital Otorrinos Curitiba: Dr. Ian Selonke – CRM-PR 19141 | Otorrinolaringologia

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui