Dia Mundial do Rock: estilo musical com poder de reflexão

Guilherme Augusto de Carvalho (*)

A música sempre esteve presente na vida da maioria das pessoas, seja como entretenimento ou uma lembrança que a melodia evoca. Há sempre uma canção para embalar nossos dias ou para se tornar a trilha sonora dos momentos especiais da nossa vida.

 

O rock é um dos gêneros que sempre esteve presente em nossa sociedade. Um estilo musical que está a todo o momento se reinventando e nunca perde o seu status.  O Dia Mundial do Rock, comemorado no dia 13 de julho, apesar de ter a alcunha de “Mundial”, é celebrado apenas no Brasil. A comemoração foi incentivada por duas rádios brasileiras 89 Rock e 97 FM.

 

Tudo começou no dia 13 de julho, quando ocorreu um importante evento chamado de Live Aid, um show criado por Bob Geldolf e Midge Ure, que tinha como prioridade arrecadar dinheiro para pessoas em condição de vulnerabilidade na Etiópia. O show contou com 1,5 bilhões de pessoas e foi transmitido por muitos canais de televisão no mundo. O evento aconteceu não só em Londres e na Filadélfia, mas também em outros países como Japão e Austrália, mostrando, assim, a força e a mobilização que um estilo musical pode ter.

 

Nomes importantes da música estiveram presentes nesse evento, como a banda U2 e o cantor Elton John, entre tantos músicos famosos, sendo que o conhecido músico Phil Collins expressou o seu desejo de transformar a data no Dia Mundial do Rock, o que motivou as duas rádios brasileiras a propor o estabelecimento dessa data.

 

Mais do que apenas uma comemoração de um estilo musical estabelecido, é interessante saber que a data está ligada a um tema muito relevante, visto que a desigualdade e as condições de vulnerabilidades são sentidas por muitas pessoas em inúmeros países até os dias atuais. Posicionar-se a favor dos menos favorecidos é questão de respeito aos seres humanos, uma atitude que vai muito além de um estilo de música.

 

Que neste dia possamos comemorar a existência de um estilo musical muito relevante, às vezes polêmico, mas também dono de mensagens de cunho reflexivo e muitas vezes de denúncia às contradições da nossa sociedade. É muito importante tirarmos um tempo para descontrair, refrescar a mente e nos deixar ser embalados pela música. Contudo, é possível fazer isso e também pensar sobre saídas para os muitos problemas que temos em nossa sociedade.

 

Que possamos neste dia refletir, nos lembrar que em muitos lugares, seja do nosso país ou em muitos outros, pessoas travam vários desafios pessoais para lidar com a falta de condições de ter o básico para viver. A dignidade e o acesso a uma vida justa é um direito de todos.

Que o Dia Mundial do Rock seja um momento de alegria e de luta a favor do respeito e do acesso a uma vida digna para as pessoas.

 

*Guilherme Augusto de Carvalho é mestrando em Filosofia, bacharel em Teologia, especialista em Filosofia, Ciências da Religião e Ensino Religioso. Professor da Área de Humanidades do Centro Universitário Internacional Uninter.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui