Europeia, argentina ou venezuelana? A história da Empanada, saborosa em diferentes versões

Uma iguaria que viajou milhares de quilômetros, a Empanada se tornou um símbolo de diferentes gastronomias pela América Latina. Prática, saborosa e versátil, conta com diferentes versões e até rixa entre países que clamam por sua criação. Afinal, a Empanada nasceu na Europa, é argentina ou chilena?

 

A resposta é complicada. O próprio nome já entrega uma forte ligação com a Espanha – afinal, vem de “empanar”, “envolver em pão”. Mas a receita que chegou em território espanhol veio da antiga Pérsia há mais de dois mil anos, como conta o livro “Empanadas: As tortinhas de mão da América Latina” (“Empanadas – The hand-held pies of Latin America”), de Sandra A. Gutierrez. Os persas envolviam comida em massa para preservá-las por mais tempo, o que acabou se tornando um petisco ideal para culturas nômades. Não é por acaso que as empanadas lembram esfihas. Com o domínio de territórios espanhóis pelos persas no século XIV, a receita acabou se popularizando no país europeu, especialmente em territórios como a Galícia. No século seguinte, as empanadas embarcaram com os conquistadores, chegando na América.

 

Cada cultura foi recebendo e adaptando essa receita, criando diferentes versões. Uma das mais famosas é a Empanada argentina. “A empanada é simples, é gostosa, fresca”, conta Dom Hugo, panadero argentino que está há 24 anos no Brasil e, há 21, comanda o Dom Hugo Empanadas (Instagram @domhugoempanadas) em Curitiba. “Não tem nada de gourmet, mas também não é congelada, tem ingredientes de qualidade”. Basicamente, a receita tem uma massa de farinha, água e manteiga com recheio variado – o mais difundido na cultura argentina é de carne – e apresentado no formato de meia-lua, geralmente indo ao forno.

 

Em outros países, o prato se difundiu de outras formas. O bar Cubano (Instagram @cubanocwb), por exemplo, busca influência venezuelana. “Usamos a farinha tradicional Pan, de milho da Venezuela”, comenta Patricia Fregonese, proprietária do bar curitibano dedicado à gastronomia de rua de países latinos. Emprestando a tradição cubana, a Empanada tem uma opção de recheio de Ropa Vieja, uma carne desfiada bem temperada, combinada com queijo muçarela.

 

Há até receitas que ganham outro nome, dependendo do país em que são feitos, mas que mantém o preparo e até o formato parecidos com a clássica empanada – caso da Salteña boliviana, por exemplo. “Tem que entender a cultura de cada país e o uso de ingredientes em cada região. Varia a cozinha de cada cultura”, define Dom Hugo. A versatilidade da Empanada é uma de suas características. Seja com variados sabores ou preparos, é uma iguaria que vale a pena ser experimentada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui