Alta na procura por tratamentos estéticos é um dos reflexos da pandemia

Os procedimentos estéticos vieram para ficar, e ainda bem! Nos consultórios dermatológicos, por exemplo, é graças à evolução de várias tecnologias que pacientes podem desfrutar de tratamentos cada vez mais completos, de resultados mais rápidos e com conforto e comodidade necessários.

Dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) mostram que mais de 1,5 milhão de procedimentos estéticos são feitos no Brasil anualmente. 

Segundo Daniele Abe, médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, a pandemia ajudou a intensificar a busca pelos tratamentos, já que nos últimos dois anos muitos passaram a trabalhar em home office e a participar de reuniões online, intensificando o olhar mais criterioso sobre si mesmo.

“Durante a pandemia, as pessoas passaram a se olhar mais e a se comparar mais também. Além de verem sua imagem diretamente nas telas de reuniões, percebendo defeitos que antes passavam despercebidos, as pessoas começaram a passar mais tempo consumindo conteúdo nas redes, o que fez com que quisessem alcançar a imagem perfeita que os filtros trazem”, comentou.

Além de um tratamento estético que atenda as necessidades do paciente, também há a busca por conforto e segurança em relação ao procedimento.

“Os pacientes procuram por praticidade, tratamentos menos invasivos e  sem downtime, ou seja, com menos tempo fora de suas atividades habituais. Porém, a exigência por bons resultados é cada vez maior. O avanço das tecnologias permite que entreguemos o que o paciente precisa, sem sair da sua rotina e com resultados cada vez melhores”, ressaltou a dermatologista.

Cuidado com o modismo

Infelizmente, muitos pacientes procuram por um procedimento estético por influência de amigos ou baseado no que veem nas redes sociais. A Dra. Daniele lembra da importância de conscientizar o paciente sobre a real necessidade do procedimento e explicar que o que funcionou para o outro pode não funcionar para ele.

“Enfatizo sempre a necessidade de consulta médica prévia, antes de qualquer procedimento estético. É melhor investir em uma boa avaliação do que pagar por um procedimento que não tem indicação e que, consequentemente, não dará os resultados almejados”, alertou.

Tratamentos estéticos em alta

Metade do ano já se foi, e muitos pacientes começam a procurar os consultórios dermatológicos com o objetivo de se prepararem para o verão. O problema é que muitos ainda se baseiam no que veem nas redes sociais, o que causa medo e desconfiança.

“Hoje existe uma parcela de pacientes que têm medo de ficar com o rosto exagerado, em parte pelas fotos antes e depois que veem na internet. Alguns não querem nem ouvir falar na palavra harmonização facial, por exemplo, pois sabemos que muitos famosos fizeram e não ficaram com resultado satisfatório”, ressaltou.

Nesse contexto, segundo a dermatologista, os procedimentos que envolvem bioestimulação de colágeno – por trazerem resultados mais naturais – passaram a ser mais procurados. “Isso engloba tanto os bioestimuladores injetáveis para rosto e corpo, e também as tecnologias, como ultrassom microfocado e laser”, completou.

Ultrassom microfocado, o “queridinho” do momento

Um dos tratamentos mais versáteis e inovadores do momento quando o assunto é rejuvenescimento da pele é o tratamento com ultrassom microfocado. 

Segundo Daniele, o ultrassom microfocado é o único tratamento não invasivo que consegue atingir o SMAS (Sistema Aponeurótico Muscular Superficial, complexo muscular localizado abaixo da pele do rosto e do pescoço) e fazer um lifting da musculatura. 

“Os resultados que conseguimos com ele não conseguimos com nenhum produto injetável. Ele faz lifting facial, reduz pequenas áreas de gordura e ainda estimula o colágeno”, explicou a especialista.

Uma tecnologia de ultrassom microfocado que tem chamado atenção nos consultórios dermatológicos é o Liftera, que apresenta soluções não invasivas para lifting e contorno facial e corporal. Ela possui dois tipos de aplicadores – Caneta Liftera e o Aplicador em Linha – , potencializando os resultados e oferecendo mais conforto e segurança ao paciente.

“Com o Liftera conseguimos um tratamento bastante tolerável em relação à dor. O tratamento com outros aparelhos doía muito, o que fazia com que os pacientes, apesar de gostarem dos resultados, desistissem de fazer novas sessões com medo da dor. Outra vantagem é a Caneta: com ela conseguimos tratar áreas mais sensíveis e entregar um resultado mais refinado”, pontuou.

Para que os resultados sejam ainda mais satisfatórios, Daniele lembra da importância da alimentação saudável, da boa hidratação e dos cuidados diários com a pele.

“Os procedimentos estéticos ajudam e muito a recuperar a beleza e a qualidade da pele, mas é fundamental que o paciente faça uso do protetor solar diariamente, além de investir numa alimentação equilibrada, rica em proteínas e fibras. Certamente os resultados serão potencializados”, finalizou a especialista.

Sobre Daniele Abe 

Daniele Abe é médica dermatologista, pós-graduada em Cosmiatria e Laser pelo Instituto Lapidare. É membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia. (CRM 39517 | RQE 2830)

Instagram: https://www.instagram.com/dradaniabe/ 

Sobre Liftera

Liftera é a mais revolucionária e inovadora tecnologia de ultrassom microfocado, oferecendo duas opções de aplicadores (Caneta Liftera e aplicador em Linha), proporcionando mais ergonomia e rapidez nas aplicações.

A tecnologia faz o tratamento não invasivo de lifting e contorno facial, pescoço e corpo e entrega energia térmica na pele de maneira mais eficaz e segura, fortalecendo as diferentes camadas e promovendo o lifting facial, a firmeza da pele e a remodelação do contorno corporal.

Mais informações:

Site: www.liftera.com.br

Instagram: https://www.instagram.com/lifterabrasil/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui