Instrutor do FBI participa do Fórum Nacional de APH em Vitória

Entre os dias 05 a 07 de agosto será realizado o Fórum Nacional de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) em Combate, em Vitória (ES). O evento contará com palestras de variados temas, e um deles será sobre “Atirador Ativo”. O Fórum será realizado na Faculdade de Direito de Vitória, e as inscrições podem ser feitas através do link: https://bit.ly/39rkT4Z .

O atendimento pré-hospitalar ou APH consiste no atendimento fora do ambiente hospitalar, em geral em regime de urgência.

Um dos palestrantes confirmados será Marcelo Bini, paramédico de guerra formado pela Escola de Saúde do Exército dos Estados Unidos, que serviu em conflitos com potencial uso de armas nucleares, na fronteira entre a Coréia do Norte e Sul, e especialista em Atendimento Pré-Hospitalar e Medicina de Guerra. Também foi policial no Estado do Texas (2016-2020), com experiência em unidades de elite e situações com atiradores ativos. Atualmente, é investigador Federal dos Estados Unidos.

Segundo Marcelo, o evento tem o objetivo de orientar os policiais como agir de forma rápida diante de casos de urgência, principalmente quando o assunto são os episódios de atiradores ativos, evitando ao máximo que vítimas sejam atingidas. “Os policiais precisam enfrentar os atiradores, neutralizá-los e ao mesmo tempo socorrer as vítimas”, ressaltou o instrutor.

Marcelo tem vasta experiência em casos de invasões de atiradores em escolas, e numa parceria com a Polícia Militar do Espírito Santo, participa do treinamento dos agentes. 

“Trabalhamos com esse tipo de protocolo desde 1999, depois do Massacre de Columbine. São protocolos estudados e respeitados que provam que dão certo em situações com atiradores ativos”, esclareceu Marcelo.

Atirador ativo e bullying

Uma pesquisa realizada pelo FBI revela que 85% dos invasores de escola foram vítimas de bullying e rejeição, realidade que também pode ser percebida nos ataques que ocorreram no Brasil. “É importante ficar atento aos sinais, pois eles costumam aparecer”, lembrou o instrutor.

O bullying é uma realidade brasileira e mundial. Em linhas gerais se caracteriza por agressões verbais, virtuais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, e que acaba afetando a qualidade de vida das crianças e adolescentes. 

Casos no Brasil

No Brasil, apesar de menos comuns que nos Estados Unidos, os casos de atiradores ativos infelizmente também têm registros. 

Os episódios de maior repercussão foram o Massacre de Suzano (SP) em 2019, onde dois atiradores (ex-alunos) entraram numa escola estadual e mataram dez pessoas, entre alunos e funcionários, e o Massacre de Realengo (RJ), em abril de 2011, onde um ex-aluno abriu fogo contra os estudantes de uma escola municipal, deixando 13 mortos.

Serviço:

Fórum Nacional de APH em Combate 

Data: 05, 06 e 07 de agosto de 2022

Programação: sexta, das 18h às 22h30; sábado, das 9h às 21h; domingo, das 9h30 às 20h30.

(workshops serão oferecidos no sábado e domingo)

Local: Auditório da Faculdade de Direito de Vitória (R. Juiz Alexandre Martins de Castro Filho, 215 – Santa Lúcia)

Praça de alimentação e marcas do meio tático com produtos e valores diferenciados ao público do Fórum.

Inscrições: https://bit.ly/39rkT4Z 

*as palestras poderão sofrer pequenas mudanças em seus horários.

O certificado de participação do curso será enviado em até 5 dias úteis após o evento em formato digital. 

Sobre Marcelo Bini

Marcelo Bini é paramédico de guerra formado pela Escola de Saúde do Exército dos Estados Unidos. Serviu em conflitos com potencial uso de armas nucleares, na fronteira entre a Coréia do Norte e Sul, e é especialista em Atendimento Pré-Hospitalar e Medicina de Guerra. Também foi policial no Estado do Texas (2016-2020), com experiência em unidades de elite e situações com atiradores ativos. Atualmente, Marcelo é investigador Federal dos Estados Unidos.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui