Brasil precisa estar preparado para a maior crise hídrica da história, alerta especialista

A crise hídrica brasileira não é atual. Ela vem de longa data e não se resume a secas, mas também a extremos hidrológicos. A afirmação é de José Galizia Tundisi, presidente do Instituto Internacional de Ecologia e membro da Academia Brasileira de Ciências. Considerado o maior especialista em recursos hídricos do Brasil, Tundisi afirma que o país terá que lidar com o desequilíbrio hidrológico, que mostra situações de extrema seca em algumas regiões e excesso de chuva em outras.

Segundo Tundisi, a cultura da abundância está incorporada à bandeira do Brasil. Como o país possui 12% das reservas de água do planeta, a população brasileira gasta muito. "Porém, com a real queda na quantidade de chuvas, é necessário reformular o pensamento - passar da cultura da abundância para a cultura da escassez", alerta. Para ele, é preciso diminuir muito a demanda, melhorar a governança, investir em programas de saneamento e de reuso, um dos grandes problemas do Brasil.

Há quase dois anos, com outros 14 cientistas, Tundisi lançou uma carta aberta ao governo com sugestões de medidas emergenciais para contornar a crise hídrica no Brasil. Entre as propostas, a carta chamou atenção para a necessidade de uma postura preditiva no gerenciamento de recursos hídricos, evitando "surpresas". O que se presenciou no início do ano, no sistema Cantareira, por exemplo, já havia sido previsto pelo especialista, que alertou o governador de São Paulo e o secretário de Recursos Hídricos do Estado.

Tundisi fez um estudo para entender a real dimensão da crise hídrica brasileira e compara a situação com a crise de Barcelona de 2007-2008, a maior seca do século na Espanha, que atingiu todos os setores da economia, resultando em um prejuízo de um bilhão de euros. 

A Espanha foi um dos mais de 40 países que já contaram com a ajuda de Tundisi para gerenciar seus recursos. O especialista ajudou o país europeu a atravessar a estiagem sem grandes traumas, com medidas como a redução do volume de água a 100 litros diários por família, aplicação de multas aos que extrapolavam o limite, importação de água da França e montagem de uma planta de dessalinização para a utilização da água do mar para abastecer Barcelona.

Esses e outros assuntos serão abordados por Tundisi no evento "Grandes Nomes da Biologia", promovido pela Universidade Positivo (UP), na próxima sexta-feira, 18. Com o tema "Recursos Hídricos: Conservação, Gestão e Caminhos para o Futuro", o evento tem início às 8h e conta com palestra, seguida de mesa-redonda, no auditório do Bloco Bege da UP. Com vagas limitadas, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.up.edu.br/grandesnomesdabiologia


Serviço
"Recursos Hídricos: Conservação, Gestão e Caminhos para o Futuro", com José Galizia Tundisi
Data:
 18 de setembro, às 8h
Local: Universidade Positivo - auditório do Bloco Bege (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 - Curitiba/PR)
Entrada Gratuita
Inscrições:
 www.up.edu.br/grandesnomesdabiologia


Sobre a Universidade Positivo - A Universidade Positivo (UP) concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. A instituição teve origem em 1988 com as Faculdades Positivo, que, dez anos depois, foram transformadas no Centro Universitário Positivo. Em 2008, foi autorizada pelo Ministério da Educação a ser transformada em Universidade. Atualmente, oferece 54 cursos de Graduação (30 cursos de Bacharelado e Licenciatura e 24 Cursos Superiores de Tecnologia), três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, centenas de programas de Especialização e MBA e dezenas de programas de Extensão. Em Curitiba, a UP conta com três campus: Ecoville, que ocupa uma área de 424,8 mil metros quadrados, Praça Osório, no centro da cidade, e Mercês - Catarina Labouré, este último dedicado ao curso de Enfermagem. Lançou, em 2013, seu programa de Educação à Distância, com dezenas de polos em todo o país. Segundo as avaliações do Ministério da Educação, é considerada uma das dez melhores universidades privadas do Brasil.

Central Press

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu