Cuidados com caixa de gordura contribuem para preservação ambiental

Reter a gordura para evitar entupimentos e, ainda, que ela vá para as redes coletoras particulares e públicas. Essa é a função da caixa de gordura, item exigido pelas concessionárias de água e esgoto por todo o país e que necessita de alguns cuidados ainda na hora da construção do empreendimento. Caso contrário, pode render dor de cabeça para o proprietário do imóvel, seja residencial ou comercial.

Após utilizado, o óleo descartado transforma-se em blocos sólidos, que se fixam às paredes da tubulação, reduzindo o espaço para a passagem do esgoto, como explica o consultor técnico da Artefácil, Adriano Antônio Gomes. “A caixa de gordura é usada, justamente, para reter o material antes que ele vá para a tubulação. O sistema retém o resíduo descartado antes que ele chegue à rede pública de esgoto”.
Quando necessário, o material deve ser retirado da caixa e jogado no lixo comum, evitando quaisquer impactos ambientais. É imprescindível que, em todo imóvel, seja instalada uma caixa de gordura na saída de água da pia e de máquinas de lavar louças, tanto em casas quanto em restaurantes.
Mesmo com caixas de gorduras instaladas, Gomes recomenda que, os usuários fiquem atento ao que descartam pelo ralo. “Em primeiro lugar, o uso de ralinhos para evitar que alimentos caiam no encanamento é muito importante. Além disso, itens como pó de café ou gordura in natura jamais devem ser descartados na pia”, afirma.
Modelos
A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) fornece, na NBR 8160, orientações para a construção de caixas de gordura, indicando as dimensões adequadas para cada imóvel. Uma casa com duas pias, por exemplo, precisa de uma caixa com capacidade mínima para 31 litros. Ainda de acordo com a norma, caixas devem ser instaladas no lado interno do alinhamento dos edifícios e não no passeio.
Há, também, diferentes materiais para a construção, elas podem ser feitas de plástico (PVC), fibra de vidro, concreto ou alvenaria. “As tecnologias atuais fazem da caixa de concreto a melhor opção, a principal vantagem é que o material tem maior resistência e funcionalidade operacional”, afirma Gomes, que pontua outros benefícios desse produto. “É preciso de uma caixa seja normatizada, tenha fechamento hermético e encaixe perfeito às tubulações”.
Para o técnico, caixas feitas de alvenaria, por exemplo, têm custo-benefício muito baixo, pois demandam muito trabalho na hora da montagem, sem a garantia e durabilidade daquelas feitas de concreto.
Prejuízos
Além dos problemas gerados nos imóveis onde há entupimento, a rede de esgoto das cidades e o meio ambiente também são prejudicados. Isso porque, quando ocorre a obstrução de algum ponto da rede, é preciso que a concessionária de esgoto do local desloque uma equipe de manutenção para resolução do problema, o que gera custos. Além disso, haverá despesas adicionais durante o tratamento do esgoto e, consequentemente, para o bolso dos contribuintes.

<nany@hipertextoweb.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.