Hospital faz campanha sobre uso do marcapasso em crianças

O Hospital Infantil Sabará realiza, nesta quarta-feira dia 23 de setembro, uma campanha para orientar os pais sobre o uso do marcapasso em crianças. A ação acontece em parceria com o Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial (Deca) em comemoração ao Dia do Portador de Marcapasso.
Especialistas do Centro de Cardiopatias Congênitas do Hospital vão esclarecer dúvidas sobre o funcionamento do aparelho com a participação de voluntários da Associação Pequenos Corações e do próprio Sabará.

Atualmente, mais de 300 mil pessoas utilizam marcapassos no Brasil e, a cada ano, cerca de 50 mil novos dispositivos são implantados, de acordo com o Deca.
Em crianças, o uso desse dispositivo é indicado em casos nos quais a frequência cardíaca é baixa. Essa frequência baixa pode ser consequência de uma patologia congênita ou secundária a uma cirurgia para correção de determinada cardiopatia.
A médica Ritmologista do Hospital Infantil Sabará Dra. Cecilia Monteiro Boya Barcaello,  espe­cialista em Estimulação Cardíaca pelo Depar­tamento de Estimulação Cardíaca (DECA) da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascu­lar (SBCCV) e atual secretária do DECA-SBC­CV, esclarece abaixo as principais dúvidas das famílias sobre o tema.
1. O marcapasso de uma criança é igual a de um adulto?
Sim, não existem marcapassos específicos para crianças. O marcapasso cardíaco utili­zado em crianças é o mesmo que o utilizado em um adulto.
2. Meu filho vai ter uma vida normal? Vai po­der brincar e fazer exercícios como qualquer outra criança?
Depende. O que determina as restrições aos exercícios físicos e demais atividades é a pa­tologia que indicou o implante do marcapas­so, não o gerador em si. Se a criança tem uma patologia somente elétrica (um bloqueio atrioventricular congênito, por exemplo), ela poderá ter uma vida completamente normal e fazer exercícios físicos sem restrições.
3. Meu filho terá de trocar o marcapasso?
Sim, o marcapasso cardíaco é dotado de uma bateria e deve ser trocado a cada seis ou sete anos. Tudo dependerá da forma como o marcapasso é utilizado (a frequên­cia cardíaca, os limiares de estimulação etc.). Só um especialista em estimulação cardíaca poderá avaliar corretamente e indicar a tro­ca quando necessária.
4. Será que um dia meu filho deixará de utili­zar o marcapasso?
Provavelmente não. Essas próteses, quando indicadas, são por conta da frequência car­díaca muito baixa e, normalmente, o coração não se recupera. No entanto, só um especia­lista poderá avaliar caso a caso.
5. Como deve ser a avaliação de uma criança portadora de marcapasso?
Ela deve passar por avaliações inicialmen­te trimestrais e posteriormente semestrais com médicos especialistas, que através da telemetria com o marcapasso irão avaliar a integridade dos eletrodos e o estado da ba­teria do gerador. O especialista também vai adequar a frequência cardíaca com a idade e o desenvolvimento da criança.
6. Meu filho portador de marcapasso poderá frequentar a escola? Jogar videogame, usar o computador?
Sim, os marcapassos cardíacos sofreram uma grande transformação desde a déca­da de 1960, quando foram inventados. Hoje são próteses maravilhosas que permitem aos seus portadores uma vida sem grandes restrições (sempre na dependência da pato­logia que indicou o implante do marcapsso).
7. É verdade que existem marcapassos com­patíveis com Ressonância Nuclear Magnética?
Sim, hoje temos marcapassos compatíveis com Ressonância Nuclear Magnética. Con­sulte o especialista em estimulação cardíaca para mais informações.
8. É verdade que existem marcapassos que dão “choques no peito”? “Crianças usam este tipo de marcapasso?
Sim, estes marcapassos, são os Cardiodes­fibriladores Implantáveis ou CDIs. Eles são indicados para pacientes que sofreram pa­radas cardíacas ou possuem patologias que podem levar a uma parada cardíaca. Exis­tem crianças que utilizam essas próteses.
9. Qual a principal indicação do uso de uma marcapasso cardíaco em crianças?
A principal indicação é a frequência baixa. Essa frequência baixa pode ser por conta de uma patologia congênita (que a criança nas­ceu com ela) ou secundária a uma cirurgia para correção de determinada cardiopatia.
10. Por que em um adulto o marcapasso fica no tórax e em uma criança, na maioria das vezes, fica no abdômen (barriga)?
Tudo depende do tamanho da criança. Lem­bre-se que a criança vai crescer e que mui­tas vezes, quando o marcapasso é indicado, a criança é pequena. Dessa forma, inicial­mente o marcapasso é colocado epicárdico e o local do gerador é o abdômen. Quando a criança cresce, o eletrodo (fio que liga o ge­rador ao coração) passa a ser endocárdico e o gerador é colocado no toráx da criança.
SERVIÇO
Data: 23 de setembro de 2015
Local: Pronto Socorro – Hospital Infantil Sabará. Av. Angélica, 1987 – Higienópolis
Horário: 9h às 17h
Sobre o Centro de Cardiopatias Congênitas
O Centro de Cardiopatias Congênitas do Hospital Infantil Sabará foi criado para aten­der crianças nessas condições e é formado por uma equipe multidisciplinar altamente qualificada, composta por cardiologistas pe­diátricos, cirurgiões cardíacos, psicólogos e enfermeiros. Tudo para que o paciente rece­ba o melhor cuidado e tratamento.
Sobre o Hospital Infantil Sabará
O Hospital Infantil Sabará é uma instituição sem fins lucrativos e braço assistencial da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, da qual faz parte também o Instituto PENSI, focado na realização de pesquisas e no ensino e treinamento de profissionais da saúde infantil.  É um dos maiores e mais respeitados centros de atendimento pediátricos do Brasil, reconhecido pelo excelente atendimento ao paciente e pelo pioneirismo nesta área, desde sua inauguração em 1962.
Instalado em um moderno edifício de 17 andares na Avenida Angélica, em São Paulo, opera segundo o conceito de “Children’s Hospital”. Este modelo assistencial conta com a retaguarda em todas as especialidades pediátricas, como Neurologia, Nefrologia, Cardiologia, Oncologia, Ortopedia, Urologia, Gastrenterologia, Cirurgia Pediátrica e Anestesia, e atua com equipe multiprofissional integrada e de alta capacidade  resolutiva na atenção à criança.
O Sabará é o primeiro hospital exclusivamente pediátrico no Estado de São Paulo a conquistar a acreditação da Joint Commission International (JCI) – mais importante órgão certificador dos serviços de instituições de saúde no mundo. A acreditação é um instrumento que avalia desde a estrutura hospitalar às práticas de gerenciamento e cuidados com o paciente, garantindo o tratamento adequado e a assistência necessária em todos os âmbitos. Para atender às exigências das metas internacionais e estar no mesmo patamar de instituições que possuem um padrão internacional em saúde, o Hospital Infantil Sabará investiu mais de R$ 4 milhões e passou por um rigoroso processo de avaliação que abrange mais de 1,3 mil itens em todos os serviços como atendimento, gestão, infraestrutura e qualificação profissional.
Sobre a ABEC/DECA
A ABEC/DECA (Associação Brasileira de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial/Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular) é responsável pela área de implante de marcapassos, cardioversores desfibriladores implantáveis e ressincronizadores cardíacos no Brasil. É a referência do Ministério da Saúde para normatização sobre indicações para os dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis. As normas e portarias que tratam sobre o credenciamento de serviços e autorização de profissionais médicos para implante desses tipos de dispositivos ou próteses, via SUS ou convênios particulares, também foram criadas e desenvolvidas pelo Departamento.
<marisa.oliveira@sabara.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.