Alta do dólar impulsiona visitação em parques temáticos

Por Pedro Fideles

O crescente desejo dos brasileiros de viajar para destinos turísticos nacionais, motivado pela alta cotação da moeda americana, está impulsionando a visitação de parques temáticos do país. A expectativa é que a procura por esse tipo de destino acompanhe o aumento da cotação do dólar no mesmo período, passando de 17 milhões em 2014 para 18 milhões em 2015, de acordo com a Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (Adibra).

De acordo com o Banco Central do Brasil, a cotação média do dólar em 2014 foi de R$ 2,35. Contudo, no período de janeiro a setembro de 2015 a cotação da moeda americana superou a média do ano anterior, atingindo a marca de R$3,16. O aumento foi de 34,4%.

O presidente da Adibra, Francisco Donatiello, afirma que a alta demanda está diretamente relacionada à movimentação da moeda nacional. “O aumento da visitação deve-se ao elevado valor do dólar em relação ao real e ao crescimento da oferta de parques aquáticos do Brasil motivado pelo clima favorável e pela grande demanda”, conta.

Para o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, o país tem um grande potencial para desenvolver o mercado de parques. “Com a alta do dólar, temos uma grande chance de atrair os turistas que antes preferiam viajar para o exterior, para nossos parques nacionais. Temos uma excelente oferta, tecnologia de ponta, mas temos que promover esses destinos como uma grande oportunidade em favor do crescimento do país”, afirma.

O alto custo da viagem para o exterior foi um dos fatores que motivaram o economista brasiliense, Célio Augusto Mello, a visitar com a família em 2015 o parque temático em Penha, Santa Catarina. “A qualidade do parque e a variedade de atrações me surpreendeu positivamente, pois além de proporcionar lazer e diversão para as crianças, a localização do parque nos permitiu o fácil acesso à praia”, afirma.

Alain Baldacci, presidente do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), mantém a defesa desta relação entre o câmbio e a busca por destinos brasileiros. “A procura por parques é acentuada tanto por pessoas que trocam a viagem para o exterior por uma viagem doméstica quanto por moradores da região próxima ao parque que deixam de viajar e buscam uma atração local”, diz.

Parque temático no município de Penha, em Santa Catarina. Crédito: Nilo Biazzetto Neto
Ministério do Turismo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.