Anthony McCall cria escultura de luz na Bienal Internacional de Curitiba

A obra de Anthony McCall exposta na Bienal Internacional de Curitiba 2015 tem como objetivo mostrar aquilo que torna tudo visível: a luz. Em seu espaço no Palacete dos Leões/BRDE apenas projetores ocultos e neblina artificial: McCall coloca em cheque o conceito tradicional de escultura — uma porção de matéria tangível —, ao transformar feixes de luz em formas geométricas impalpáveis, designadas pelo artista como “pura escultura”. São luzes duras, quase sólidas, que encantam o observador que se porta sob os feixes. A obra de McCall tem entrada gratuita e fica em exposiçãoaté 6 de dezembro. Durante a Bienal, o Palacete tem horário especial e abre às quintas até às 20h30.

“Se estiver interessado (a atenção, o envolvimento do observador da arte nunca foi tão solicitado como com a arte da luz), o visitante tem a condição de perceber as sutis alterações nas formas sugeridas e situar-se em relação a si mesmo e à arte. No limite, esta pode ser uma experiência da vida interior tanto quanto da luz exterior”, comenta o curador geral e crítico de arte Teixeira Sobre Anthony McCall.

McCall estudou Design Gráfico na Ravensbourne College of Art and Design, em Bromley, Kent, na Inglaterra, no final dos anos 60 e fez experimentos em cinema durante este período. Seus primeiros filmes são documentos de performances ao ar livre as quais eram notáveis pelo uso mínimo de elementos, principalmente o fogo. Vinte anos mais tarde, ele adquiriu uma nova dinâmica e reinaugurou sua série de “luz sólida”, desta vez usando projetores digitais ao invés de filme de 16mm. McCall foi premiado em 2012 com £500,000 nas Olimpíadas de Londres para a criação de um trabalho consistindo uma coluna de vapor em Birkinhead que foi planejado para ser visível a uma distância de 100km.

Sobre o curador
Teixeira Coelho foi diretor do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo-MAC USP; curador-coordenador do Museu de Arte de São Paulo-MASP e curador de diversas exposições no Brasil e no exterior, além de co-curador da Bienal de Curitiba de 2013. Professor emérito da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, publicou os ensaios Arte brasileira e depois (arte na coleção Itaú;, Olhar e ser visto (retratos da coleção MASP); Cidades invisíveis: fotografia; Arte e utopia, A cultura e seu contrário, entre outros. Como autor de ficção, seu livro mais recente é Colosso, publicado em junho de 2015.

Sobre a Bienal
A Bienal Internacional de Curitiba completa 22 anos em 2015 priorizando a arte que vai para as ruas, com ações que não se restringem aos museus, centros culturais e galerias, mas que ganham o espaço urbano. Tem curadoria geral do crítico de arte Teixeira Coelho e acontece na capital paranaense entre os dias 3 de outubro e 6 de dezembro com obras de artistas dos cinco continentes em mais de 100 espaços da cidade. Toda a programação é gratuita, exceto pelas exposições no Museu Oscar Niemeyer que segue as tarifas do museu (R$ 9 e R$4,50).

Publicações
Com o início do evento, o guia com a programação da Bienal será distribuído nos espaços expositivos e em diversos pontos da cidade. O site oficial também incluirá toda a programação e as informações gerais. Os catálogos da Bienal Internacional de Curitiba e do Festival de Cinema contêm informações detalhadas de todos os artistas e obras e poderão ser adquiridos a partir de outubro. O guia e o catálogo da Bienal são editados pela Arte e Letra.

Patrocínio
O Ministério da Cultura apresenta a Bienal Internacional de Curitiba 2015, realizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura (Lei Rouanet). Esta edição também conta com o patrocínio master da UEG Araucária e patrocínio do BNDES, Petrobras, Sanepar, Scania e BRDE. Tem copatrocínio da Barigui Financeira, Sesi FIEP, Monreal Construtora e Pátio Batel. Tem o apoio da APAP-PR e o apoio internacional da Fundação Japão, Consulado Geral do Japão, Embaixada da Argentina, Consulado da Argentina, Instituto Goethe, Prefeitura de Columbus, Prefeitura de Cracóvia, Embaixada da Itália, Consulado Geral da Itália, Instituto Italiano de Cultura, Centro Cultural Coreano no Brasil e Consulado Geral da República da Coréia, Embaixada do México e Embaixada da Suécia.

Bienal Internacional de Curitiba 2015
Anthony McCall no Palacete dos Leões/BRDE

Av. João Gualberto, n° 570
Data: 3 de outubro a 6 de dezembro – de segunda a sexta das 12h30 às 18h e às quintas até às 20h30
Local: Museu Oscar Niemeyer/Curitiba − PR
Redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Youtube
Informaçõeswww.bienaldecuritiba.com.br

Gabriel Castro

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.