“Marca passo de bexiga” e botox fazem parte do arsenal de técnicas para combater o descontrole da urina

A síndrome da bexiga hiperativa, caracterizada por uma vontade súbita de urinar e difícil de controlar, não é natural e tem tratamento.
A doença atinge cerca 20% da população idosa e as consequências negativas para a qualidade de vida dos pacientes são enormes já que eles tendem a se isolar socialmente, com medo de perder urina em locais públicos.
O grande problema é que apenas 10% das pessoas que sofrem com essa condição procuram um médico. Uns por pensarem que é uma coisa natural da idade e outros por vergonha.
Os tratamentos vão desde a administração de medicamentos e de sessões de fisioterapia até injeção de botox e, nos casos mais graves, cirurgias. O implante de um marca-passo de bexiga – um dispositivo semelhante a um marca-passo cardíaco, que emite pulsos elétricos para estimular o nervo que controla a bexiga e inibe as contrações, é uma das possibilidades.
Fernando Almeida, médico urologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, foi o primeiro a fazer o procedimento no Brasil, que desde o ano passado deve ter a cobertura dos planos de saúde (de acordo com determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).  Almeida dirige o Centro de Distúrbios da Micção do hospital, que existe há sete anos e é referência no tratamento de urologia.
COMPLEXO HOSPITALAR EDMUNDO VASCONCELOS
Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.400 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames por ano. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 – Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, conquistado pelo quinto ano consecutivo em 2015.
Rua Borges Lagoa, 1.450 – Vila Clementino, zona sul de São Paulo. 
Tel. (11) 5080-4000

 <lucio.agberto@tree.inf.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.