Universitários produzem jornal especial sobre estádios de Curitiba

Estudantes do curso de Jornalismo do Centro Universitário Autônomo do Brasil (Unibrasil) lançam neste sábado, às 21h, a 1.ª edição de um jornal especial dedicado a analisar a ligação da vida dos curitibanos aos estádios da capital paranaense. O material tem a proposta de trazer novas maneiras de enxergar a realidade dos locais de jogo através da abordagem de diferentes aspectos, como mobilidade urbana, perfil dos frequentadores e estabelecimentos afetados pelas partidas de futebol.  
A primeira distribuição acontecerá no Couto Pereira, durante o jogo entre Coritiba e Figueirense pela série A do Campeonato Brasileiro. Haverá ainda distribuição durante os próximos jogos de Atlético Paranaense e Paraná como mandantes e também em regiões de grande circulação da capital paranaense.  
Chamado de Capital da Notícia: Vida de Estádio, o projeto trará reportagens e crônicas sobre os impactos positivos e negativos dos centros esportivos no cotidiano de moradores, comerciantes, poder público e torcedores dos clubes. O material terá uma tiragem de três mil exemplares e será e distribuído nas proximidades dos grandes estádios curitibanos a partir de outubro. 
“A proposta do jornal parte dos próprios estudantes e visa problematizar um espaço cuja importância é central para a compreensão da cidade”, argumenta a coordenadora do curso de Jornalismo do Unibrasil, Maura Martins. O envolvimento dos alunos no projeto vai além da produção própria e envolve todo o planejamento, execução e distribuição do jornal.  
Entre os temas tratados, estão assuntos como a briga por estacionamento no entorno dos estádios, ovandalismo das torcidas e o futuro da Vila Capanema. Há espaço também para reportagens que fogem do lugarcomum, como a situação das primeiras árbitras brasileiras, as possibilidades de práticas mais sustentáveis em estádios e um perfil histórico do Ecoestádio.  
Para a editora-chefe do Capital da Notícia: Vida de Estádio, Veridiana Toledo, a abordagem dada pelo jornal pretende levar ao leitor algo além do que já é visto em outros meios de comunicação. “Pensamos em retratar o estádio de futebol não apenas como um local, mas sim um sentimento de cada um que ali esta presente”, conta.  
A ideia principal é dar a visão que um estádio de futebol vai além do time e campeonatos, mas que aborde assuntos polêmicos, curiosos, históricos e afins. “Queremos contribuir para que a sociedade desmistifique o conceito atual de estádio e das pessoas que os frequentam”, conclui Veridiana.  
Suburbana em foco 
Há ainda uma 2.ª edição sendo preparada, com lançamento previsto para o fim de novembro, cujo foco será nos estádios de futebol amador de Curitiba e região metropolitana. Através do material, será possível conhecer um pouco mais da realidade de clubes como o Combate Barreirinha, Clube Atlético Bairro Alto e tantos outros que compõe os campeonatos suburbanos, bem como das diferenças para o futebol praticado em nível profissional.  
“O estádio, para nós, é entendido como metáfora da convivência e da tolerância com as diferenças, que são inevitáveis e mesmo desejáveis na vida em sociedade. Assim, um dos objetivos é levantar o debate sobre tais questões, indo além da cobertura abrangida pelo jornalismo esportivo diário”, revela Maura Martins.  
guilhermepinheiro7@hotmail.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.