Cresce a venda de material escolar em dezembro

O cenário econômico tem mudado o comportamento das famílias brasileiras. Os itens considerados supérfluos estão ficando de lado e agora o consumidor leva somente os produtos essenciais e mais baratos.

Com a chegada do 13º salário, outra atitude diferente foi notada pelo varejo. Quem está livre das dívidas está antecipando as compras dos materiais escolares em dezembro para não ficar descapitalizado com os gastos de Natal, férias e também para evitar os aumentos que acontecem na virada do ano.

Nas 24 lojas do Grupo Livrarias Curitiba – que ficam no Paraná, Santa Catarina e São Paulo – a demanda por materiais escolares em dezembro já cresceu 15% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Aumentos

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório, nos últimos 12 meses, o preço do material escolar teve um acréscimo médio de 10% em virtude da desvalorização do real, do aumento dos insumos e da mão de obra.

No Paraná, a substituição tributária feita pelo governo também contribuiu para elevar os preços. Com isso, alguns produtos tiveram alta dos impostos, o que encarece a mercadoria na hora da venda.

 

Grandes atrativos

Mas a boa notícia para os consumidores é que o Grupo Livrarias Curitiba conseguiu negociar com os fornecedores e terá um aumento máximo nos itens escolares de 5% na virada do ano – exceto para importados – bem abaixo da inflação oficial.

“Compramos em grandes quantidades já no meio do ano, fizemos esforços para segurar os aumentos e repassar as melhores condições”, explica Marcos Pedri, diretor comercial. Com isso, a rede quer ampliar as vendas desses itens em 7% em relação a 2014. Para atingir esse objetivo a companhia preparou outros diferenciais competitivos.

O primeiro deles é a cesta básica escolar. Trata-se de um kit com dez itens fundamentais como lápis de cor, caderno, cola branca, giz de cera, lápis e caneta que estão com os mesmos preços de 2014. Na segunda ação, a cada R$ 120,00 em compras, o cliente ganha um cupom e concorre a dois veículos HB20 zero quilômetro. Já o recebimento do Vale-Cultura para troca em livros didáticos também deve atrair novos consumidores aos pontos de vendas.

O Vale-Cultura é um benefício de R$ 50,00 mensais concedido pelo empregador aos trabalhadores com carteira assinada e que ganham até cinco salários mínimos. Ele pode ser trocado em estabelecimentos que comercializam produtos e serviços culturais tais como livros, CDs, DVS, revistas e jornais.

“Com todos esses atrativos, oferecemos a nossos clientes as melhores condições de investir na educação dos filhos, de encontrem todos os itens escolares em nossas lojas a preços mais acessíveis e de fazerem seu dinheiro render mais”, argumenta Pedri. <imprensa@livrariascuritiba.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.