Em conjunto com outras ações, simulador de direção pode reduzir acidentes de trânsito

Proporcionar uma experiência segura e completa aos candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH), categoria B, durante as aulas. Esta é a proposta dos simuladores de direção veicular, obrigatórios em âmbito nacional desde julho passado pela resoluçãonº 543/15 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Especializada em soluções tecnológicas, a empresa Mobilis lançou recentemente uma linha de simuladores que visam esse objetivo. Com estrutura compacta, três telas de alta resolução e software exclusivamente pedagógico, proporciona maior imersão aos alunos, que podem percorrer diversos cenários, como vias rurais, estradas não pavimentadas e circuitos fechados com cones, além de vivenciar situações que seriam pouco factíveis em uma aula prática, como aquaplanagem e animais na pista. “Estudos da Southern Califórnia Research Institute, nos Estados Unidos, associam o uso do equipamento na formação de condutores à possível diminuição de até metade do número de acidentes”, ressalta o Gerente de Negócios da Mobilis, Jobel Araújo.

 

Rio Grande do Sul é referência na implantação de simuladores

Adotados há cerca de um ano pelas autoescolas do Rio Grande do Sul, os simuladores de direção veicular revelam benefícios que vão além do aumento da autoconfiança dos candidatos à categoria B da CNH. A longo prazo, o produto vai ao encontro da construção de um trânsito com menores índices de acidentalidade.

Conforme o presidente do Sindicato dos Centros de Formação de Condutores do Estado do Rio Grande do Sul (SindiCFC-RS), Edson Luis da Cunha, o estado foi pioneiro na implantação dos equipamentos, com registro no Detran de mais de 2 milhões de aulas dadas em simuladores do início da implantação até hoje. “O simulador é um recurso pedagógico facilitador do processo de aprendizagem, excepcional antes das aulas práticas”, frisa.

Neste sentido, muito do conhecimento gerado pelo simulador se deve ao planejamento aula a aula, que permite ao aluno errar com segurança antes de partir para as aulas práticas na rua. “Há um ganho de tempo no aprendizado após o aluno embarcar no veículo, pois ele já domina os pedais, marchas e a partida do veículo”, exemplifica Cunha.

Possíveis vícios ao volante também podem ser corrigidos por meio dos relatórios gerados pelo equipamento, ferramenta propiciada pelo simulador que auxilia o aprendizado. “Para alcançar os resultados esperados, contudo, é necessária interação entre aluno e instrutor, tornando as aulas motivadoras, interessantes e com melhor assimilação de conteúdo”, acrescenta o presidente.

Para ele, o conjunto desses fatores pode levar a uma queda nos índices de acidentalidade, já apontado em todo o estado. Dadosdo Detran-RS e do Ministério da Saúde revelam que, entre 2014 e 2015, houve redução de quase 15% dos mortos em acidentes de trânsito no estado. “Até o momento, essa queda é atribuída a um conjunto de decisões e ações educacionais tomadas pelo Detran e pelo Governo, o que inclui o simulador de direção”, pondera Cunha.

Sobre a Mobilis

Com uma equipe especializada e com vasto know-how em soluções para segurança no trânsito, a Mobilis se destaca pela linha pedagógica e tecnologia de ponta de simuladores de direção veicular. Essencial para formação mais segura e completa dos candidatos à obtenção da CNH (categoria B), os equipamentos proporcionam uma imersão aos alunos, que experimentam situações reais e outras impraticáveis em uma aula de rua, como dirigir sob o efeito de álcool. A consequência, a longo prazo, são vias mais seguras e humanas, com condutores mais preparados e com uma postura preventiva no trânsito. (beatriz@excom.com.br

86735c4b-c07a-4a81-b2dd-269aff7143c8
Para auxiliar o processo de aprendizado, o equipamento mostra, a cada aula, apontamentos com os erros do condutor
322f75c1-e654-44d5-9acc-e910f4d8a148
Para proporcionar uma visão realista do trânsito, os simuladores reproduzem situações adversas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.