Crise e desemprego aquecem procura por especialização e MBA

Crise econômica permanente e demissões em alta. O mercado está em recessão. Mas um setor que não conhece adversidades é o de especialização no ensino superior. Na Universidade Positivo, em Curitiba (PR), por exemplo, o número de matrículas para cursos de MBA e pós-graduação aumentou em média 66%, em relação ao mesmo período de 2015. A que se deve esse comportamento em tempos de economia em queda livre?

Uma série de fatores analisados por especialistas pode ajudar a entender o fenômeno da procura por mais conhecimento e formação acadêmica. Entre eles, pode-se citar a estratégia pessoal de busca por qualificação, que leva a promoções no atual emprego e novas oportunidades no mercado de trabalho. “As pessoas sabem que se não qualificarem na questão acadêmica, o mínimo exigido não estará sendo cumprido. E também estão procurando elevar o currículo profissional para se destacar no mercado”, afirma Susanne Zanetti, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Paraná (ABRH-PR), entidade que representa os headhunterse gestores de pessoas.

Susanne também faz questão de ressaltar o hábito presente em profissionais de estarem sempre à procura de diferenciação de seus currículos. “Percebo uma vontade  e interesse real em aprender, em ir além, na busca de se aperfeiçoar, independente do mercado. A continuidade nos estudos  é um meio de nos tornarmos mais preparados e adquirirmos conhecimentos e habilidades que afetarão positivamente nosso desempenho profissional”, analisa.

Quem foi demitido e percebe a luz amarela acionada na carreira decide procurar novos espaços. A volta aos bancos universitários é uma demonstração ao mercado de que o recomeço, com mais qualificação, é uma forma de estar em sintonia com as novas oportunidades que podem surgir. “Muitas pessoas que foram desligadas e estão em transição entendem que não será fácil se recolocar num curto espaço de tempo. E não querem ficar paradas, ou desconectadas do mercado, de pessoas, de uma alguma atividade intelectual”, destaca Susanne.

É o caso de Felipe Sgarbossa Alves, que apostou na pós-graduação de Planejamento e Gestão de Negócios, mesmo depois de ser demitido. “Se especializar e estar em contato com o mercado é um diferencial para buscar a recolocação”, justifica. A estratégia deu certo. Sem perder a motivação, Felipe conseguiu um novo emprego em oito meses. Para o coordenador dos cursos de Pós-Graduação da Universidade Positivo, Leandro Henrique de Souza, casos como esse são cada vez mais comuns. “Este ano, muitos estudantes aproveitaram o momento de instabilidade para investir numa especialização, certos de conseguir uma recolocação em menor tempo ou até mesmo como uma forma de melhorar os negócios”, ressalta.

A empresária Juliana Salgado, que acaba de entrar no MBA de Gestão de Varejo e Administração de Shopping Center, busca novas ferramentas que possam ser aplicadas na sua empresa. “Como o cenário político e econômico está instável, é preciso se reinventar, buscar competências e novas formas de ver o próprio negócio”, ressalta. Para a empresária, que atua no setor de moda feminina, adquirir novas habilidades e estar em contato com profissionais do mercado é essencial para passar pela crise sem ser afetado por ela.

 

Sobre a Universidade Positivo – A Universidade Positivo (UP) concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. A instituição teve origem em 1988 com as Faculdades Positivo, que, dez anos depois, foram transformadas no Centro Universitário Positivo (UnicenP). Em 2008, foi autorizada pelo Ministério da Educação a ser transformada em Universidade. Atualmente, oferece 54 cursos de Graduação (30 cursos de Bacharelado e Licenciatura e 24 Cursos Superiores de Tecnologia), três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, centenas de programas de Especialização e MBA e dezenas de programas de Extensão. Em Curitiba, a UP conta com três campus: Ecoville, que ocupa uma área de 424,8 mil metros quadrados, Praça Osório, no centro da cidade, e Mercês – Catarina Labouré, este último dedicado ao curso de Enfermagem. Lançou, em 2013, seu programa de Educação à Distância, com dezenas de polos em todo o país. Segundo as avaliações do Ministério da Educação, é considerada uma das melhores universidades privadas do Brasil. (centralpress@centralpress.com.br)

imagem_release_634474
Juliana Salgado, aluna de MBA de Gestão de Varejo e Administração de Shopping Center
imagem_release_634475
Felipe Sgarbossa Alves, aluno da pós-graduação de Planejamento e Gestão de Negócios

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.