Dia da Conscientização contra a Obesidade Infantil alerta para o problema no Brasil

O Dia Internacional da Conscientização contra a Obesidade Infantil, nesta sexta-feira (03 de Junho), traz um alerta para o avanço da obesidade em crianças, devido aos hábitos alimentares incorretos e falta de atividade física, além de fatores biológicos, comportamentais e psicológicos.

A obesidade infantil é, segundo a Organização Mundial de Saúde, um dos problemas de saúde pública mais graves do século XXI, sobretudo nos países em desenvolvimento.

“Não se trata de um problema meramente estético. Crianças obesas tendem a desenvolver vários problemas de saúde, como diabetes, doenças cardíacas e a má formação do esqueleto. Deve ser considerada prioridade a prevenção da obesidade infantil”, alerta o médico e cirurgião especialista em obesidade, Caetano Marchesini.

A OMS entende que a obesidade se tornou uma epidemia. De acordo com a Organização, crianças obesas e com sobrepeso tendem a se tornar adultos obeso e têm maior probabilidade de adquirir mais cedo doenças não transmissíveis, como diabetes e doenças cardiovasculares.

Pesquisas comprovam – A obesidade infantil é crescente na maior parte das regiões, especialmente entre famílias de baixa renda. Os indicadores sobre alimentação adequada, divulgados no final de 2015 pela Secretaria de Direitos Humanos, constatou que 33,5% das crianças entre 5 a 9 anos estão acima do peso ideal, e, entre adolescentes, 20,5%. Os dados foram coletados pelo IBGE, Ministério da Saúde, Programa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS), todos eles cooperando com a Secretaria de Direitos Humanos.

Para Marchesini, a alimentação das crianças e jovens está mudando para pior. “Vemos um aumento no consumo de produtos altamente calóricos e, ao mesmo tempo, a queda na prática de atividade física devido a escolha cada vez maior por jogos de videogame e uso constante de tablets ”, relata Marchesini.

Nutrição – A professora e pesquisadora do departamento de Nutrição da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Regina Maria Vilela, explica que a substituição da alimentação simples e caseira por uma alimentação repleta de produtos processados e industrializados está refletindo na saúde dos jovens brasileiros. “No passado a obesidade atingia mais os adultos. Hoje, o quadro mudou e a obesidade está atingindo também crianças e adolescentes” ressalta a pesquisadora.

Segundo ela, o Plano de Estratégias Globais da Organização Mundial da Saúde para Nutrição, Prevenção e Controle de Doenças Não Transmissíveis prevê, por exemplo, a redução no consumo do sódio, gorduras, entre outras ações.

“No entanto, o Brasil é um dos países que mais consome sódio no mundo. O nível tolerável é de 5 gramas por dia e o Brasil consome 11 gramas de sódio por dia. Vale lembrar, que o sódio está em quase todos os produtos industrializados, pois atua como conservante e aumenta o tempo de prateleira”, enfatiza. (cerestb@gmail.com)

0c40e9ad-04fc-442d-8ee1-af54189f06bc 5ef97fa4-ad52-441d-bb2c-fb5a31978c85

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.