Diálogo entre pintura e fotografia marca experimentações de Samuel Dickow, em cartaz na Diretriz

A galeria Diretriz Arte Contemporânea apresenta até o dia 14 de julho o trabalho do artista plástico Samuel Dickow, na exposição “Intensidades Sensíveis”, que tem curadoria de Ana Rocha e participação de outros três artistas: Daniel Duda, Juliana Grisi e Lailana Krinski. Na exposição, Samuel exibe seu trabalho em pintura acrílica sobre tela, que dialoga com questões presentes nas obras homônimas de Marcel Duchamp e Lygia Pape, chamadas Étant Donné – escolhidos pela curadoria como referência para inúmeras reflexões, releituras e contrapontos apresentados na mostra.

Samuel Dickow explora a pintura e a fotografia para formalizar questões poéticas e produzir experimentações. A produção do artista curitibano é dividida em diversas séries de experimentações com a linguagem pictórica, reflexo de uma pesquisa definida como “uma imersão no mundo sensível e sua emersão no mundo das representações”.

“Embaso minha pesquisa a partir da interdependência entre a imagem fotográfica e a pintura, para refletir no objeto de arte percepções sobre temporalidade da imagem e seu conteúdo histórico”, conta Dickow.

 

Sobre os Étant Donné

A obra Étant Donné de Duchamp, feita entre 1946 e 1966, é uma instalação em que o espectador se vê diante de uma porta rústica e é convidado a olhar por uma fenda na porta. O que se vê: parte de um corpo nu deitado sobre a grama, sua mão segurando um lampião. Ao fundo, vê-se uma paisagem e uma cachoeira, que volta e meia brilha. Já o Étant Donné de Lygia Pape (1999), cujo título vem acrescido de um ponto de interrogação, é uma releitura da obra de Duchamp. Neste, a artista inclui o seu rosto numa colagem digital que completa a imagem do corpo visto através da fenda da porta no original.

 

Sobre Samuel Dickow

Graduado em Artes Visuais pela Universidade Tuiuti do Paraná, Samuel Dickow tem em seu currículo exposições como a mostra individual “Sem Título”, no Museu da Gravura e da Fotografia da Cidade de Curitiba, e “O Óbvio Improvável”, na Farol Galeria de Arte e Ação, com a curadoria de Keila Kern e Margit Leisner. Em 2013 participou da Mostra Sesi Arte Contemporânea, com o trabalho “Dispositivos Móveis”, texto crítico do trabalho de Arthur do Carmo. Entre 2012 e 2014, participou da 6ª edição projeto Bolsa Produção da cidade de Curitiba e, recentemente, participou da exposição coletiva “Limiar”, na Galeria SIM, com a curadoria de Arthur do Carmo e Tony Camargo.

 

Sobre a Diretriz Arte Contemporânea

Inaugurada em dezembro de 2015, pela galerista Zuleika Bisacchi, a Diretriz Arte Contemporânea realiza um trabalho de responsabilidade, critério, coerência, integridade e respeito aos artistas e ao público apreciador das artes, em suas diversas linguagens. Trata-se de um espaço de contemplação e cultura, onde o investidor tem a oportunidade de apreciar e adquirir obras de artistas já consagrados, assim como daqueles que estão despontando no meio.

http://www.artediretriz.com.br/

www.facebook.com/diretrizarte

www.instagram.com/diretrizarte

 

 

SERVIÇO

Exposição Intensidades Sensíveis

Período: De 14 de maio a 14 de julho

Local: Diretriz Arte Contemporânea

End.: Av. do Batel, 1868 / Shopping Pátio Batel / Piso L3 / Loja 329

Horário: Segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo, das 14h às 20h

Entrada franca

redacao8@lidemultimidia.com.br)

09dd487e-41f7-4e60-bb47-dbdcc9817681 b9da82b1-9914-4641-b612-4b31fb5bab9f samuel05

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.