Terapia inova no tratamento do estresse

Em tempos de crise econômica em diversos setores no Brasil, a manifestação dos sintomas físicos do estresse torna-se ainda mais evidente. Principalmente entre profissionais que ocupam cargos de gestão e liderança. Em situações de instabilidade emocional e financeira, muitas pessoas podem apresentar dores, gastrite, enxaqueca, fadiga, perda de sono, perda de vitalidade, entre outros. Um combinado de fatores que pode ser muito perigoso para a saúde do corpo e da mente.

Um método inovador e que vem revolucionando a forma de tratar sintomas físicos e emocionais de maneira integrada é a Terapia Crâniossacral. Diferentemente de outros tratamentos, ela busca reequilibrar o organismo por meio de toque suaves, que estimulam o sistema nervoso e promovem a dessomatização. “Por meio dessa técnica, a emoção não fica mais presa no corpo físico da pessoa, ela é vivenciada novamente e liberada, deixando o corpo livre da carga que aquele determinado sentimento trazia”, explica o terapeuta e especialista em Osteopatia, Mauro Lopes.

De acordo com o terapeuta, com apenas uma sessão já é possível sentir os efeitos da técnica, desde que o paciente esteja aberto a realizar o tratamento da maneira correta. No consultório, Lopes atende, semanalmente, de duas a três pessoas que buscam resolver sintomas ligados ao estresse. Os resultados têm demonstrado a eficácia do tratamento. “Já atendi dois jovens que trabalhavam na mesma empresa e me procuraram para resolver problemas de autoestima, pois quando não conseguiam vender seus produtos se sentiam fracos, inseguros e perdiam a confiança. Depois de fazerem algumas sessões, hoje ambos são destaques em suas áreas de atuação e alcançaram níveis internacionais dentro da empresa”, conta o terapeuta.

 

Terapia Crâniossacral

A técnica surgiu há mais de 30 anos, criada pelo médico osteopata John E. Upledger. A proposta é a de utilizar o sistema crâniossacral (membranas e líquidos que envolvem o cérebro e a medula) a favor do alívio de dores e disfunções. Esse sistema compreende os ossos do crânio, face, boca, sacro e cóccix.

O método consiste em toque leves para encontrar desequilíbrios no sistema crâniossacral, por meio do monitoramento do liquido cerebroespinhal. Ao encontrar algum problema, o profissional usa movimentos delicados, porém precisos, para liberar as áreas de tensão que podem causar danos.

Como o sistema crâniossacral influencia o corpo de modo geral, a terapia é capaz de avaliar e tratar problemas relacionados ao cérebro e a medula, que podem se estender para várias outras partes do corpo.

Sobre Mauro Lopes

Fisioterapeuta formado pela PUCPR. É especialista em Osteopatia pela Escola da Bélgica e fez sua formação em Terapia Crâniossacral (TCS) pelo Upledger Brasil. Possui formação avançada em TCS, com experiência em atendimentos realizados nos EUA. Tem mais de 24 anos de experiência na área.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.