Boa comida temperada pela arte

Cafe Bathe - Sanduiche de costelinhaEspaço que une cafeteria, bistrô e galeria de arte, Café Bathé inaugura com cardápio que vai do criativo ao gostinho caseiro. De quebra, comensais podem conferir duas exposições, uma delas com obras de Picasso, Dali e Portinari, entre outros mestres, e a mostra individual do artista plástico Jonas Paim.

Curitiba ganha uma nova opção gastronômica com um tempero único, o amor pela arte. Abre as portas no Batel o Café Bathé, um mix de cafeteria, bistrô e galeria de arte. No espaço do empreendimento dedicado a cultura, entre as mostras apresentadas para marcar a estreia há uma exposição de acervo com obras de mestres como Picasso, Salvador Dalí, Di Cavalcanti e Portinari. A seleção de grandes nomes que habita as paredes já revela a paixão e esmero refletidos em cada detalhe. No cardápio, entra em cena uma mistura de gastronomia com toques criativos e o gostinho caseiro de receitas de família, com assinatura do jovem chef João Gattringer.

O café é fornecido pela Distinto Café Especiais, da premiada barista Claudia Bentlin. Para harmonizar com a proposta da casa, ela selecionou um grão do Paraná cultivado a 900 metros de altitude, cujas características são a baixa acidez e notas de melaço de cana. Claudia também realizou o treinamento de toda a equipe do Bathé que trabalhará diretamente com a bebida. Consultora, ela é mestre em torra e juíza do campeonato Brasileiro de Baristas 2015.

A cozinha mescla técnicas criativas com inspirações de bistrô e da comida familiar, com receitas para diversas horas do dia, do café da manhã ao almoço e jantar, passando por um saboroso lanche da tarde. Massas, grelhados, sanduíches, saladas e caldos formam a linha mestra do menu criado pelo chef João Gattringer. Com 25 anos de idade, ele iniciou sua carreira em 2010. Cursou gastronomia na Univali, em Itajaí (SC), depois de trancar o curso de agronomia. Passou por todas as funções dentro da cozinha, desde auxiliar até sub-chef. Fez estágio na casa de eventos Fasano, em São Paulo, e depois partiu para uma experiência internacional na Irlanda, onde cozinhou num pub bem tradicional. Atuou ainda em casas de especialidades tão diferentes como hamburguerias, bistrôs, cafeterias e restaurantes japoneses.

Assumindo sua primeira chefia no Café Bathé, traz para o cardápio suas vivências profissionais pelo mundo e também resgates de família. “Um exemplo são as releituras de almoços e lanches que eram feitos pela minha mãe e avó. Juntei isto à experiência que passei na Irlanda, com toques de gastronomia de pub”, conta. “Pensei numa gastronomia descomplicada com um toque de ousadia. São aqueles pratos que nos remetem à infância e provocam a memória afetiva, seu calor, cheiros e gostos”.

Ele cita o Sanduíche de costelinha de porco desfiada com molho barbecue (R$ 34), o de Filé mignon com queijo (R$ 32), e o simples e delicioso Buraco quente (R$ 18,90), um sanduba feito no pão francês crocante recheado com molho bolonhesa finalizado com queijo parmesão e cebolinha. Há ainda a Batata Bathé (R$ 19,90), porção de batatas assadas em pedaços com casca ao azeita de alecrim, páprica e ervas.

ARQUITETURA

Com 200 metros quadrados de área total, entre sala de exposição e salão, o Bathé comporta até 40 pessoas sentadas. O casarão, construção dos anos 60, foi completamente reformado para receber este espaço e seu mix de arte, cultura e gastronomia, com projeto da arquiteta Marina Dal Ponte. Para as exibições, oferece dois espaços distintos. No salão da cafeteria, as obras são expostas no ambiente também ocupado pelas mesas e lounges. No piso superior, a estrutura é de uma galeria, com amplos espaços livres, iluminação projetada e móveis minimalistas. Café e galeria vão funcionar de forma sempre simultânea. “Assim o público poderá degustar arte e gastronomia no mesmo endereço”, explica Pollyane Lattmann, sócia proprietária, sobre a idealização.

SOBRE AS EXPOSIÇÕES INAUGURAIS

Grandes mestres reconhecidos internacionalmente e talentos contemporâneos compõem as duas exposições que marcam a inauguração do Café Bathé, novo espaço voltado à arte e gastronomia em Curitiba. Numa delas, o artista plástico Jonas Paim exibe sua obra, com um estilo abstrato e figurativo.

No pavimento superior, a mostra do Acervo do Café Bathé é fruto de mais de 15 anos de pesquisa e paixão pela arte. Ganha exposição uma coletânea de respeito, com grandes nomes da arte mundial e brasileira. São 40 obras, sendo 37 pinturas. Estão presentes Picasso, Salvador Dali, Di Cavalcanti, Joan Miró, Portinari, Juarez Machado, Poty Lazzarotto e Inos Corradin. As três esculturas são criações de Botero, Picasso e Mary Andery. Existem obras antigas, com mais de 60 anos, e outras contemporâneas. Não há uma linha específica de identidade entre estilos ou temas. O critério foi mostrar os principais criadores que fazem parte desta seleção.

ESCULTURA INTEGRADA

A casa também conta com obras permanentes do artista Tony Reis. Ele assina as intervenções da fachada e jardim com suas surpreendentes esculturas, que transformam paredes e linhas retas em habitats para seus seres imaginários. Carregadas de interação e movimento, as criações em materiais naturais delimitam o espaço e nunca o olhar.

O Café Bathé disponibiliza seu espaço para eventos fechados como lançamentos de produtos, livros, festas particulares e empresariais, aniversários e confraternizações.

CAFÉ BATHÉ

ENDEREÇO: Rua Desembargador Costa Carvalho, 89 – Batel, Curitiba – PR
FUNCIONAMENTO: De terça-feira a sábado, das 10h às 19h.
TELEFONES: (41) 3026-7006 e (41) 9132-3010
EXPOSIÇÕES: em cartaz até 22 de setembro.
– Acervo, com originais de Picasso, Poty Lazzarotto, Salvador Dali, Portinari, Di Cavalcanti, Juarez Machado, BIANCO , Inos Corradin, entre outros.
– Exposição individual de Jonas Paim.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.